Antes de fechar com Crespo, São Paulo negociou e se desapontou com Ramirez

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Ramirez acabou preterido por Crespo no São Paulo (Franklin Jacome/Getty Images )
Ramirez acabou preterido por Crespo no São Paulo (Franklin Jacome/Getty Images )

Apesar do pré-contrato com o Internacional, Miguel Angel Ramirez passou os últimos dias negociando com o São Paulo. O espanhol afirmou ao Tricolor que pagaria a multa de US$ 1,2 milhão para rescindir com o Colorado caso fechasse com o presidente Julio Casares. Mas o São Paulo acabou preferindo ficar com Hernán Crespo, que será anunciado em breve.

Casares e os homens do departamento de futebol tricolor passaram os últimos dias negociando com Ramirez e Crespo. Porém, o ex-treinador do Independiente Del Vale causou impressão ruim nos contatos mais recentes. Tudo porque fez uma série de exigências, algumas consideradas descabidas, e passou do tom em alguns momentos, na visão dos dirigentes.

Leia também:

Crespo e Ramirez custariam, basicamente, a mesma coisa: cerca de R$ 1 milhão por mês, incluindo salários dos treinadores e de suas comissões técnicas. O argentino, por exemplo, vai contar com cinco parceiros, sendo um preparador físico e outro preparador de goleiros.

Detalhe importante: desde outubro do ano passado, Ramirez era o preferido de Julio Casares. Mas Crespo, recém-campeão da Sul-Americana pelo Defensa y Justicia, deixou uma excelente imagem em todos no Morumbi. E por isso acabou escolhido - no domingo, inclusive, ele já anunciou a rescisão de seu contrato com o Defensa y Justicia.