São Paulo confirma dois casos de variante mais contagiosa do novo coronavírus

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Edilson Dantas / Agência O Globo

O governo de São Paulo confirmou na tarde desta segunda-feira (4) que amostras de novo coronavírus coletadas em dois clientes do laboratório Dasa são mesmo da cepa B.1.1.7.

Esses dois casos se tornam assim, oficialmente, os primeiros identificados no Brasil por essa variante, que é mais contagiosa e foi detectada inicialmente no Reino Unido. Nos últimos dias, ela já foi descoberta, porém, em países de diversos continentes.

A análise do material genético foi feita no Laboratório Estratégico do Instituto Adolfo Lutz, que pertence ao governo paulista, após a rede Dasa dar um alerta, em 31 de dezembro, e fornecer então as amostras também para estudo nos órgãos de vigilância sanitária.

Leia também

"Ambos os casos são da linhagem B.1.1.7 (termo sinônimo de “cepa” e “variante”). As sequências realizadas pelo Lutz foram comparadas e mostraram-se mais completas que a primeira identificada pelo próprio Reino Unido. Todas estão depositadas no banco de dados online e mundial GISAID (na Global Initiative on Sharing All Influenza Data) – Iniciativa Global de Compartilhamento de Todos os Dados sobre Influenza, na tradução", informa a Secretaria da Saúde, em nota à imprensa.

O laboratório privado Dasa conseguiu perceber que esses dois casos foram provocados pela cepa B.1.1.7 em meio a um trabalho com 400 amostras de exames RT-PCR feitos com saliva. A empresa, para confirmar a variante, já havia realizado seu sequenciamento genético em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-FMUSP). Esse estudo começou em dezembro, após o Reino Unido alertar sobre a variante, que causa preocupação por ser mais infecciosa.

Segundo o governo de São Paulo, ambos os infectados com a nova linhagem do vírus tiveram contato, em algum grau, com pessoas que passaram pelo Reino Unido.

Os pacientes são uma mulher de 25 anos, moradora da capital paulista, que se infectou depois de estar com viajantes que passaram pelo território britânico, e um homem de 34 anos, também da cidade, que conviveu com ela.

Não há ainda detalhes sobre o quadro clínico da dupla nem o relato dos seus sintomas, porque, conforme a pasta, a "investigação epidemiológica sobre ambos os casos está em andamento".

da agência O Globo