Conheça os Perpétuos, irmãos de Sonho em "Sandman"

Pôster oficial da série
Pôster oficial da série "Sandman", estrelada por Tom Sturridge. (Foto: Divulgação/Netflix)

Os quadrinhos de "Sandman", criados por Neil Gaiman, apresentam os Perpétuos, sete entidades antropomórficas que representam as forças da natureza. Além de simbolizarem seus respectivos fenômenos, também são responsáveis por controlá-los.

Os sete Perpétuos são filhos de duas entidades cósmicas, a Noite e o Tempo, e por isso se consideram uma grande família. Eles são: Sonho, Desejo, Desespero, Destruição, Delirium, Destino e Morte. Cada um deles possui o próprio reino e guardam objetos que representam os irmãos em uma galeria.

Além de Sonho, o protagonista de "Sandman", outros Perpétuos já apareceram na série da Netflix, que adapta o arco "Prelúdios e Noturnos". No entanto, alguns deles só devem ser introduzidos na segunda temporada. Conheça as particularidades de cada um:

  • Sonho

Sonho é o terceiro Perpétuo por ordem de nascimento, mais jovem que Morte e Destino. O protagonista começa a história sendo capturado por um feiticeiro, que planejava sequestrar a morte, e passa sete décadas em cativeiro.

Rei de Sonhar, o personagem do ator Tom Sturridge também já foi conhecido como Morpheus, Oneiros, Príncipe das Histórias e Kai'ckul ao longo da história da humanidade. Seu reino é habitado por suas criações, entre sonhos e pesadelos.

  • Morte

Segunda dos Perpétuos a existir, a Morte é a irmã mais próxima de Sonho. A personagem de Kirby Howell-Baptiste é a responsável por ajudar os humanos a fazer a passagem no final da vida. Seu reino nunca foi revelado nos quadrinhos, mas já foi mencionado como "A Luz no Fim do Túnel".

  • Desejo

Sem gênero definido, Desejo é a representação do que as pessoas mais anseiam na vida, seja cobiça, desejo material ou sexual.

Apareceu pela primeira vez no arco "Casa de Bonecas" e tem uma relação conturbada com os irmãos, especialmente com o Sonho. Seu reino é representado por uma estátua de seu próprio corpo e é conhecido como Liminar.

Mantendo a representatividade dos quadrinhos, a série da Netflix também escalou Mason Alexander Park, artista não-binário, para viver Desejo.

  • Desespero

A Desespero é a irmã gêmea de Desejo, também introduzida em "Casa de Bonecas". Ela representa os medos, angústias e ansiedade presente nas pessoas e no universo.

Nos quadrinhos, é ilustrada como uma mulher gorda, de pele cinzenta e que está sempre nua. A personagem vivida por Dona Preston na série da Netflix é a responsável pelo "Reino Cinza", um local cheio de névoa, neblina e espelhos flutuantes.

  • Delirium

A mais jovem dos irmãos, Delirium é uma garota com sério deficit de atenção e nunca consegue terminar as frases ou manter uma conversa coesa. Por conta disso, ela acaba sendo incompreendida e subestimada pelas pessoas, inclusive pelos Perpétuos.

Dona de um reino caótico, ela controla a sanidade e a loucura. A personagem possui a habilidade da metamorfose e está constantemente mudando de forma para adequar seu humor a aparência. Delirium é também a responsável por dar início à busca do Perpétuo desaparecido: Destruição.

  • Destino

O mais velho dos Perpétuos, Destino surgiu assim que o primeiro ser capaz de existir no universo apareceu. Ele anda sempre com um livro, que contém o destino de todos os seres que existem, já existiram ou ainda vão existir um dia.

Sem interferir no ciclo natural da vida, ele vive usando um manto, carrega seu livro acorrentado ao próprio corpo e seu reino é um Jardim. Destino é o único Perpétuo que não foi criado por Neil Gaiman e sim por Marv Wolfman e Bernie Wrightson, em "Weird Mystery Tales #1", de 1972.

  • Destruição

Destruição é o Perpétuo que abandonou seu reino e deveres há cerca de 300 anos e passou a viver uma vida simples. Mesmo representando a devastação, ruína e as guerras, ele tomou essa decisão por conta dos avanços das tecnologias desenvolvidas pelo homem, pois sabia que seria usado para criar armas letais como a bomba atômica.

Sem contato com a família, ele passou a viver isolado e se dedicando às artes, como pintura. Destruição é considerado o mais humano e gentil, depois da Morte