'Sandman': o que pode dar certo - ou errado - na adaptação da Netflix

(Imagem: divulgação DC Entertainment)

O anúncio, oficializado nesta última terça-feira, de que a Netflix fará uma versão da graphic novel ‘Sandman’ empolgou uma parcela dos fãs da obra criada por Neil Gaiman (também criador de ‘Good Omens’ e ‘Deuses Americanos’, recentemente adaptados pela Amazon). Já outros ficaram com a pulga atrás da orelha, preocupados se a futura série fará jus aos quadrinho, tido como um dos marcos da cultura pop.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

A gigante do streaming já divulgou uma sinopse da atração, que ainda não tem data de estreia: "Uma rica mistura de mitos modernos e fantasia sombria em que ficção moderna, drama histórico e lendas estão perfeitamente interlaçadas, ‘Sandman’ segue as pessoas e locais afetados por Morpheus, o Senhor dos Sonhos, enquanto ele conserta os cósmicos - e humanos - erros que fez durante sua vasta existência."

Leia também:

O protagonista faz parte de uma família de sete irmãos, os Perpétuos, que também conta com Destino, Morte, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio. Só pelos nomes dos personagens, dá para ver que a trama gira em torno dos principais temas da existência humana.

Destacamos abaixo alguns dos aspectos que podem fazer a adaptação dar certo ou não:

História ambiciosa

Quando lançado, em 1988, ‘Sandman’ foi responsável por colocar as histórias em quadrinhos em outro patamar, recebendo diversos elogios e mostrando que o meio também poderia ser usado para contar histórias adultas e sombrias. O universo criado por Gaiman tem tons filosóficos e existenciais, num cenário repleto de entidades etéreos.

Traduzir tudo isso para imagens em movimento requere investimento pesado em efeitos especiais e é um desafio também em termos de orçamento, tanto que a HBO teria recusado fazer a série por achá-la cara demais.

Tentativas anteriores frustradas

Hollywood tenta levar ‘Sandman’ para as telas já há alguns anos. O roteirista Roger Avary (que escreveu ‘Pulp Fiction’ ao lado de Quentin Tarantino) chegou a desenvolver um script, mais tarde descartado pelo estúdio que havia comprado os direitos para a versão nos cinemas. Depois o ator Joseph Gordon-Levitt (‘500 Dias com Ela’) também tentou um acordo para estrelar e dirigir uma adaptação, mas esbarrou nas famigeradas “diferenças criativas”.

O material original é longo

No total, ‘Sandman’ teve 13 arcos divididos em 75 edições publicadas. Isso significa que a série pode se estender por diversas temporadas, é verdade, mas de qualquer forma será um exercício para a equipe escolher quais aspectos desenvolver, e o que ir deixando de lado.

Carinho dos fãs

Não são poucos os fãs que consideram ‘Sandman’ uma autência obra-prima. Essa é outra faca de dois gumes: por um lado, a Netflix pode contar com uma legião de aficcionados esperando ansiosamente a estreia. Por outro, esses mesmos serão os primeiros a reclamar se encontrarem alguma coisa fora do lugar ideal que haviam imaginado.

Um dos muitos exemplos de como isso deu errado foi a adaptação de ‘Death Note’, mangá cultuado pelo público geek que gerou uma massacrada versão em formato de filme da Netflix, lançado em 2017.