Sallve: nova marca de cosméticos brasileira quer simplificar rotina de cuidados com a pele

(Foto: Reprodução/ Instagram @ sallve)

Por Gislene Pereira

Uma nova marca brasileira de beleza acaba de chegar ao mercado. A partir de sábado (08), a Sallve abre oficialmente suas vendas pelo e-commerce, prometendo propor uma rotina de cuidados com a pele bem mais simplificada.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

O primeiro item lançado, o Antioxidante Hidratante, que custa R$ 89,90, já conquistou 5 mil consumidores, que compraram o produto na pré-venda, em maio. “Em 12 horas, vendemos o dobro do que havíamos estipulado como meta”, diz a influenciadora e sabe-tudo de beleza Julia Petit, umas das sócias da Sallve.

Leia também

O produto de estreia dá dimensão do que a marca pretende oferecer para os consumidores: ele é indicado para ser usado tanto no rosto quanto na área dos olhos (o que elimina a necessidade de passar um cosmético específico nessa região), sua textura gel-sérum se adapta aos diferentes tipos de pele (seca, oleosa, mista…) e a fórmula traz uma combinação de ativos capaz de tratar várias queixas de uma vez só.

Por exemplo, dentro do frasco, há tanto substâncias consagradas para manter a hidratação do rosto (como o ácido hialurônico), quanto uma combinação poderosa de antioxidantes que combatem linhas de expressão, falta de luminosidade e manchas, que é o caso da vitamina C a 10% e do resveratrol. “A gente só vai começar a vender um produto novo quando tivermos certeza de que ele é o melhor do seu segmento”, conta Julia. Por falar novidades, a empresária dá uma pista do que a marca tem no forno: “Devemos lançar um limpador em dois meses e ter um total de oito itens no portfólio até o fim do ano.”

Diferenciais da marca Sallve

Fabricar produtos multifuncionais (que diminuem as etapas do cuidado com a pele) com ingredientes seguros e eficazes são apenas dois dos diferenciais da Sallve. Há vários os motivos para acreditar que a marca chega para revolucionar a forma com que as pessoas consomem informação sobre skincare – e os cosméticos em si, claro! A seguir, listamos outros três pontos de destaque:

1. Criação colaborativa

Antes de se lançar no mercado, a marca conversou por meses com vários consumidores em potencial para descobrir o que eles queriam de um produto de beleza, quais eram suas maiores necessidades, em que pontos as empresas que já existem estavam deixando a desejar… “Juntei tudo o que ouvi nesses encontros e também em mais uma década de carreira, cheguei na equipe de desenvolvimento de produto e falei: ‘dá pra gente fazer um hidratante que tenha isso, isso e aquilo?’. Nossas criações são feitas de forma colaborativa, prestando atenção na demanda do mercado, tentando acomodar todo mundo”, diz Julia.

2. Preços competitivos

A marca é considerada nativa digital. Ou seja, nasceu no mundo digital e, por enquanto, só vai existir ali. “Toda a comunicação, venda e pós-venda acontece nesse universo digital que só cresce. Isso engloba o e-commerce, o blog (vale conferir o conteúdo bacana feito ali sobre cuidados com a pele), nossas redes sociais (a conta no Instagram já tem mais de 90 mil seguidores), e-mail marketing…”, diz Julia. Sem lojas físicas ou intermediadores no varejo, a Sallve consegue cortar diversos custos e oferecer um produto com fórmula semelhante a outros do mercado, mas com um preço mais baixo.

3. Respeito ao mundo

E a todos que vivem nele! A Sallve é cruelty free, não usa ingredientes de origem animal, tem embalagem 100% reciclável e excluiu da lista de ingredientes aqueles que pudessem trazer algum tipo de perigo à saúde. “Como queremos fazer uma marca de um jeito melhor, mais simples, mais sincera e mais segura, tudo isso surgiu de um jeito natural. Não levantamos a bandeira de ‘vamos criar uma empresa vegan’, por exemplo. O pensamento foi outro. Se é possível produzir produtos sem testar nada em animais, seria inaceitável para a gente fazer isso”, diz Julia.

Para ficar de olho nos cosméticos

Mesmo sendo expert em beleza há anos, Julia Petit confessa que está aprendendo um monte!

Ler rótulos “Já tinha o costume de olhar a embalagem para saber o que havia nos produtos que eu levava para casa, mas agora, leio com muito mais atenção. Não é que faço um caça às bruxas com os ingredientes, mas acho importante saber o que há em cada cosmético e ter a opção de decidir se quero passar aquilo na pele ou não. É algo inclusivo, não excludente.”

Fazer pausa entre produtos “Um dia perguntei para nosso cientista porque alguns protetores solares ‘esfarelam’ ao serem passados no rosto e descobri que isso normalmente acontece quando o hidratante usado antes não foi totalmente absorvido. Agora, espero uns dois minutos entre cada produto.”

Relação entre princípios ativos “Estou descobrindo quais ingredientes não combinam entre si e esclarecendo antigas dúvidas, como a relação entre vitamina C e acne. Na verdade, não é que a vitamina causa os pontos inflamados, o problema está na base em que ela se encontra, que pode ser uma loção, um sérum...”