Saidinhas temporárias da prisão: mitos e verdades

As manchetes sensacionalistas não falham sempre que feriados como Dia dos Pais, das Mães, das Crianças, Natal, Páscoa se aproximam.

É momento de pessoas que cumprem penas restritivas de liberdade saírem da prisão por alguns dias, conforme previsto da LEP (Lei de Execução Penal).

Mais na Ponte

Não são poucas as notícias que deturpam o sentido dessa importante previsão legal, desvirtuando o debate e criando a sensação de insegurança geral e de que bandidos de alta periculosidade prontos a cometer novos crimes estão soltos.

Essas narrativas reforçam preconceitos e desinformação. Mas, afinal, o que são as tais "saidinhas temporárias"? Para que servem?

Neste vídeo, a repórter Maria Teresa Cruz conversa com a assistente social Karine Vieira, egressa do sistema prisional e que criou o Responsa, projeto que visa a reinserção do egresso no mercado de trabalho.

E também com Letícia Lé Oliveira, integrante do ITTC (Instituto Terra, Trabalho e Cidadania), para entender por que as "saidinhas temporárias" são importantes para quem está no sistema prisional e para a família do preso, e como elas auxilia quem, por anos, teve como referência a ausência da liberdade no processo de reinserção à sociedade.