Saiba se você está bebendo socialmente ou se pode ser alcoolismo

Reprodução/Pixabay PublicDomainPictures

O álcool é uma das drogas legais mais consumidas, o que faz com que a gente se questione se consome na medida certa ou se exageramos. É claro que todo mundo já teve aqueles dias em que passou da conta, mas uma pesquisa recente indica o quanto isso pode ser uma tendência ao alcoolismo.

Cerca de 11% dos americanos estão bebendo mais do que bebiam há uma década, aumentando em 30% a quantidade de pessoas que estão em um período que antecede a dependência. Já os diagnosticados com alcoolismo somam 49% da população, um número significativo e que merece atenção.

Realizado pela JAMA Psychiatry, a pesquisa entrevistou mais de 36 mil pessoas sobre seus hábitos alcoólicos. Aqueles que mais aumentaram a propensão ao vício foram as mulheres, pessoas com baixa condição socioeconômica, pessoas mais velhas e minorias raciais. O aumento foi tão alto que os autores do estudo afirmam que “constitui uma crise de saúde pública”.

Mais de 50% do risco de alcoolismo é hereditário, então qualquer familiar próximo, principalmente os pais, que sofreram com o abuso de álcool nos torna mais suscetíveis a repetir o problema. Mas como saber se estamos exagerando?

A média indicada no estudo sugere que o consumo considerado moderado é: 4 drinks por noite e 14 por semana para os homens e 3 por noite e 7 por semana para as mulheres. Caso você esteja passando desses números, é bom se preocupar. Isso varia de acordo com a situação, mas o que indica o abuso é a frequência com que isso acontece. Os médicos criaram um questionário que serve para indicar o abuso de álcool. Segundo eles, se o indivíduo responder mais de sete questões, é sinal de que é preciso considerar procurar ajuda. São elas:

1. Já bebeu mais ou por mais tempo mesmo sem ter a intenção?
2. Mais de uma vez tentou diminuir ou ara de beber ou tentou e não conseguiu?
3. Perdeu muito tempo bebendo, ou passando mal ou superando outros efeitos indesejáveis do álcool
4. Quis tanto beber que não conseguiu pensar em outra coisa?
5. Percebeu que a bebida ou ressaca interfere nos cuidados da sua casa, família ou causar problemas no trabalho e escola?
6. Continuou bebendo mesmo depois de causar problemas para a família ou amigos?
7. Desistiu de atividades que eram importantes ou interessantes para beber
8. Mais de uma vez se expôs a situações arriscadas enquanto bebia ou após beber como dirigir alcoolizado, nadar, usar máquinas, andar em uma área perigosa ou fazer sexo sem proteção)?
9. Continuar bebendo mesmo que isso fizesse você se sentir deprimido ou ansioso ou após ter perda de memória?
10. Passou a beber muito mais do que antes para conseguir o mesmo efeito ou percebeu que a mesma quantidade de bebida já faz menos efeito do que antes
11. Teve sintomas de abstinência após o efeito do álcool passar (problemas para dormir, tremedeiras, cansaço, náusea, suor, tonturas, etc).

Responder de duas a três questões afirmativamente configura um vício moderado e caso responda mais de sete, o resultado é considerado grave. Mais de sete indica que é hora de procurar um profissional.