Saiba quais serão os lançamentos em homenagem a Elza Soares ao longo de 2023

*ARQUIVO* Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 10/09/2019; Retrato da  cantora Elza Soares, que esta semana lança disco de músicas inéditas.  ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)
*ARQUIVO* Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 10/09/2019; Retrato da cantora Elza Soares, que esta semana lança disco de músicas inéditas. ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cantora Elza Soares, que morreu há exato um ano, completaria 70 anos de carreira em 2023. Para celebrar a marca, uma série de homenagens póstumas à artista está sendo preparada para os próximos meses.

O projeto "Elza 70", liderado pelo empresário Pedro Loureiro, inclui disponibilizar a gravação do show realizado pela cantora no Municipal, poucos dias antes de sua morte. A data do lançamento, porém, ainda não foi divulgada. Em 23 de junho, sairá um disco de inéditas, "No Tempo da Intolerância", em que o talento de Elza como compositora será sublinhado.

Já os cantores Larissa Luz e Caio Prado, foram os escolhidos para entoar o repertório do show do Municipal em uma nova turnê, "Elza Tributo". A história da cantora, que morreu em 20 de janeiro de 2022 -mesma data da morte de seu ex-marido, Garrincha, em 1983- também vai ganhar as telonas. Um documentário produzido por Eryk Rocha acompanhou a rotina da artista nos últimos cinco anos.

Por fim, uma exposição com os pertences de Elza deve ser organizada, expondo, na escolha dos objetos, a trajetória de vida da cantora. Seu acervo material está guardado com Loureiro e com a neta, Vanessa Soares. Em anotações, ela expôs o desejo de renovar a carreira, era o início do disco "A Mulher do Fim do Mundo", de 2015, sucesso de crítica e público. Também revirou dramas do passado -a dor da fome, a perda de quatro filhos e o machismo.

A reportagem da Folha teve acesso ao acervo e mostrou como Elza arquitetou sua volta por cima na carreira. Leia a íntegra da reportagem aqui.