O que é a ECMO, técnica usada no tratamento de Paulo Gustavo?

·2 minuto de leitura
Paulo Gustavo. Foto: reprodução/Instagram/paulogustavo31
Paulo Gustavo. Foto: reprodução/Instagram/paulogustavo31

Resumo da notícia

  • Técnica utilizada no tratamento de Paulo Gustavo funciona como pulmão artificial

  • ECMO é capaz de bombear e oxigenar o sangue de forma externa

  • Uso do equipamento dá tempo e condições ao paciente de recuperar órgãos comprometidos

Desde que apresentou piora em seu estado de saúde, na última sexta-feira (2), o ator Paulo Gustavo conta com o auxílio de um equipamento que funciona como um pulmão artificial. A equipe médica responsável pelo tratamento do comediante optou pelo uso da ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea).

Internado desde 13 de março, em decorrência de complicações da Covid-19, o humorista passou a ser cuidado em terapia intensiva e foi intubado no dia 21. O ventilador mecânico facilita a entrada de oxigênio até os pulmões, mas, em alguns casos, a depender do comprometimento dos órgãos, o recurso não é suficiente. 

Leia também

Nesses casos, a ECMO faz a oxigenação do sangue de forma externa e aumenta as chances de sobrevida, por permitir que o paciente tempo e condição clínica para se recuperar.

"Em ventilação mecânica desde domingo (21), no Rio de Janeiro, o ator chegou a apresentar sinais de melhora, mas devido ao agravamento do quadro clínico, teve que evoluir à terapia por ECMO - Oxigenação por Membrana Extracorpórea. Paulo Gustavo segue em terapia intensiva", diz a nota divulgada pela assessoria do artista. 

"Optamos pelo início da terapia coadjuvante com ECMO, com o objetivo de permitir uma melhor recuperação da função pulmonar. Após o agravamento ocorrido, a situação permanece estável nas últimas horas."

Em pacientes com o coração comprometido, o equipamento também oferece a opção de bombear o sangue. A técnica costuma ser utilizada em situações como cirurgias cardíacas, operações de grande porte ou transplantes de pulmão e coração. Com a pandemia de Covid-19, o procedimento passou a ser mais requisitado.

Segundo reportagem da revista "Veja", de 2020, o procedimento complexo e invasivo é indicado principalmente para pacientes jovens, com lesão pulmonar grave, que permanecem com o suporte por, pelo menos, 15 dias. A técnica ainda exige profissionais altamente treinados para operar a máquina e monitorar o tratamento.

“A ECMO ocupa hoje um importante papel no aumento da sobrevida dos pacientes. Em todas as epidemias anteriores, a ECMO surgiu como apoio para pacientes com insuficiência respiratória aguda grave. Na epidemia de H1N1, por exemplo, hospitais que ofereceram ECMO ao paciente tiveram maior taxa de recuperação do que aqueles sem essa tecnologia”, afirmou o cirurgião cardíaco Luiz Caneo à publicação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos