Sabrina Sato lembra flagra íntimo em ex-namorado: "Estava com a revista da Simony"

·1 minuto de leitura
A apresentadora Sabrina Sato. Foto: reprodução/Instagram/sabrinasato
A apresentadora Sabrina Sato. Foto: reprodução/Instagram/sabrinasato

Resumo da notícia

  • Sabrina Sato abriu a intimidade ao ser entrevistada em seu canal no YouTube

  • Apresentadora lembrou flagra íntimo em ex-namorado e afirmou que não finge orgasmo

  • Ela também contou como foi sua passagem pelo balé do "Domingão do Faustão"

Acostumada a entrevistar celebridades, Sabrina Sato foi a sabatinada da vez em seu próprio canal do YouTube, no quadro "Cada Um no Seu Banheiro" desta semana. A apresentadora respondeu a perguntas de amigos famosos sobre vários assuntos com seu conhecido bom humor e não fugiu nem das perguntas mais "picantes".

Ao ser questionada se já havia fingido orgasmo, ela brincou: "Eu seria uma péssima atriz pornô". Em seguida, ela explicou que não costuma mentir nessa situação. "Mas eu não falo 'Ah, foi maravilhoso', 'Nossa'! Quando foi mais ou menos, eu falo para o Duda [Nagle, seu marido]: 'Foi ótimo, foi ok'. Mas homem sabe quando é muito bom", disse.

Leia também:

Ela também se divertiu ao contar uma história inusitada com seu primeiro namorado, flagrado em um momento íntimo.

"A gente namorou um tempão. Uma vez eu abri a porta do banheiro e ele estava com uma revista da Simony. Nunca me esqueço (risos). Fiquei com isso guardado. Toda vez que eu encontrava a Simony eu ficava com vontade de falar isso para ela. Fiquei muito enciumada, fiquei muito brava!", disse.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Na conversa, Sabrina ainda contou como foi sua passagem pelo balé do "Domingão do Faustão", bem no início da carreira. 

"Lembro que não decorava as coreografias direito. Tinha vezes que as meninas iam para um lado e eu ia para o outro. Eu era muito atrapalhada. Mas eu sempre tive ajuda de muitas meninas. Era impressionante como todas eram unidas, ajudavam umas as outras. Isso para mim era muito bom", avaliou.