Rupert Grint, o Rony de 'Harry Potter', diz que viveria o papel de novo no futuro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Eternizado em "Harry Potter" como o bruxinho simpático de cabelos ruivos Rony Weasley, o ator Rupert Grint disse que parou de assistir aos filmes da saga após o terceiro volume e que não assistiu ao spin-off "Animais Fantásticos", que expande o mundo de magia criado por J.K. Rowling, mas sem ele ou os personagens mais famosos.

"Eu não assisti a todos os filmes. Foi uma fase intensa, acho que voltar a esse mundo é algo muito difícil para mim", afirmou o ator britânico de 33 anos ao participar de um painel com fãs neste sábado (30), durante o UcconX.

Grint, que viveu o papel de melhor amigo de Harry Potter ao longo de uma década, era uma das atrações principais do evento de cultura pop, cercado por polêmicas que envolvem salário atrasado, ameaças e uma acusação de desvio de verba, além de público minguado e estande vazios no Complexo do Anhembi, na zona norte de São Paulo.

Depois do cancelamento, em cima da hora, de uma das principais estrelas do UcconX, a atriz Millie Bobby Brown, de "Stranger Things", a vinda de Grint também ficou envolta de incertezas --sua participação tinha sido anunciada cerca de uma semana antes. Mas o ator esteve presente, apesar de uma série de atrasos.

Após desembarcar no aeroporto de Guarulhos, o astro emendou direto uma maratona de encontros, fotos e autógrafos com fãs na convenção. Por volta das 19h15, com uma hora de atraso, ele subiu ao palco para um bate-papo que durou 45 minutos em um auditório fechado para os visitantes que pagaram entre R$ 700 e R$ 5.400.

Mesmo com a jornada quase ininterrupta no evento, Grint se mostrou simpático durante a conversa e ao responder as perguntas dos fãs, quase todas relacionadas ao mundo de "Harry Potter". Apesar de o último filme da franquia ter sido lançado há 11 anos, ele disse que ainda não se cansou de falar sobre a saga de bruxos.

"'Harry Potter' é algo tão único, acho que sempre estarei falando sobre isso. Tem sido a maior parte da minha vida, e sempre será algo muito especial. Eu meio que devo tudo a essas histórias", disse o ator. "É incrível ver que as pessoas ainda continuam tão animadas com os filmes, tenho orgulho de ter feito parte deles."

O ator provocou gritos e aplausos da plateia quando insinuou que toparia reviver o personagem. "Eu não sei, acho que seria ótimo. Rony e eu meio que nos tornamos a mesma pessoa, então eu me sinto muito protetor em relação a ele, acho que não conseguiria ver outra pessoa o interpretando."

Apesar de não ter assistido a todos os filmes de "Harry Potter" que estrelou, isso talvez comece a mudar com o nascimento da filha com a atriz Georgia Groome, Wednesday G. Grint, a quem ele tem mostrado alguns trechos da franquia no YouTube. "Ela tem dois anos e já tem uma varinha --eu ensinei [o feitiço] 'Wingardium Leviosa' para ela. Tem uma cena em que o Rony está jogando quadribol e uma vassoura o acerta na cara, e ela ri muito dela."

O ator estreou na franquia quando tinha 13 anos, em "Harry Potter e a Pedra Filosofal", lançado em 2001, em seu primeiro trabalho. "Tudo começou com Harry Potter, eu era um grande fã dos livros. Eu não tive uma conexão particular com o Rony enquanto eu estava lendo", contou. "Eu simplesmente amava escapar para aquele mundo, era uma criança tímida. Quando fui selecionado para o elenco, foi um dos momentos mais incríveis da minha vida. E isso mudou tudo."

No início do ano passado, Grint se juntou aos colegas em "De Volta a Hogwarts", produção da HBO Max que juntou parte do elenco da saga pela primeira vez desde o lançamento do último filme, em 2011, para relembrar histórias de bastidores. "Foi um momento cheio de emoções", comentou sobre o reencontro.

Ao lado de Daniel Radcliffe, que viveu Harry Potter, e Emma Watson, no papel de Hermione, Grint protagonizou uma das franquias de maior sucesso do cinema. Do trio, Grint não despontou em uma carreira de produções hollywoodianas e blockbusters como os colegas.

Seu trabalho mais significativo depois da saga de bruxos foi em "Servant", série da AppleTV+ produzida por M. Night Shyamalan, sobre um casal que contrata uma babá para cuidar de um boneco realista que substitui seu bebê morto. Grint interpreta Julian, o tio do bebê. "Eu gostei desse gênero de terror, de fazer algo mais sombrio", disse. A quarta temporada já foi anunciada. Grint também finalizou as gravações de uma série com Guillermo del Toro que será lançada pela Netflix.

Enquanto isso, ele, que se diz reservado, conta que tem dedicado seu tempo à filha e a trabalhos manuais, como cerâmica. Esta foi a primeira participação do ator em um evento para fãs após a pandemia, e também sua primeira passagem pelo Brasil e pela América do Sul.

Ainda assim, a UcconX conseguiu desperdiçar a participação de um nome desse calibre por conta da falta de organização e preparo, algo já apontado nos outros dias do evento, que começou na quarta (27). No painel, a conversa com Grint foi mediada por Thiego Novais, do canal do YouTube Observatório Potter, que protagonizou uma série de deslizes.

O entrevistador deixou o fanatismo por Harry Potter atrapalhar as traduções e, por conta disso, a experiência dos fãs, que pagaram para estar ali e não conseguiram entender inteiramente o que o ídolo dizia. Diversas vezes, ele não conseguiu traduzir as respostas de Grint completamente e, em alguns casos, fez traduções incorretas --como o momento em que falou que o ator teria assistido ao primeiro filme de "Animais Fantásticos", quando este se referia ao primeiro longa de "Harry Potter".

Nas perguntas, chegou a errar termos em inglês e Grint teve que fazer mímicas para explicar o que era "pottery" (cerâmica, em inglês), que o mediador confundiu com "Potter". Em alguns momentos, a própria plateia intervinha e pedia para que traduzissem as respostas de Grint e, por vezes, eles mesmos traduziam o que foi dito em inglês ou tentavam falar diretamente com o ator.

Um tradutor no palco teria sanado o problema. A falta de organização também transpareceu na hora de escolher os assentos no auditório. Fãs que compraram os ingressos com antecedência e deviam escolher o assento ficaram mais distantes do palco do que alguns fãs que compraram a entrada no próprio dia, sem assento marcado, e conseguiram, incrédulos, lugar nas primeiras fileiras. Além disso, havia reclamações das longas esperas.

O auditório, com capacidade para 2.500 pessoas, não chegou a receber 500. Para ver o astro de perto, os fãs podiam escolher entre três pacotes disponíveis. O ingresso vendido a R$ 700 permitia assistir a um painel com ele. Para ver o painel, tirar uma foto e pedir um autógrafo, era preciso pagar R$ 1.600. O pacote mais caro, que custou R$ 5.400, também dava direito a um encontro coletivo entre o ator e os fãs.

Logo após o painel, o ator subiu ao palco principal do evento para interagir com o público geral, que tinha comprado apenas a entrada para a UcconX, por cerca de 15 minutos --também com atraso. O penúltimo dia da convenção foi morno, repetindo o cenário de estandes vazios e público aquém do esperado dos dias anteriores. Grint ainda participa do último dia da programação neste domingo (31), antes de voltar à Inglaterra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos