Rumos Itaú Cultural seleciona projetos sobre negritude e questão indígena

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O programa Rumos Itaú Cultural divulgou nesta quarta os 91 projetos selecionados na edição deste ano, entre mais de 11 mil inscritos, em temas e modalidades diversos que vão de literatura a fotografia, de audiovisual a música, de games a patrimônio e memória. Os trabalhos perpassam quase todas as unidades da federação, com exceção do Amapá, e têm uma tendência de priorizar assuntos relacionados a negritude, mulheres e indígenas. Há uma forte preocupação, segundo comunicado da instituição, com preservação de memória e organização de acervos. Há, por exemplo, linhas de pesquisa sobre a literatura de Ailton Krenak, a dramaturgia de Gianfrancesco Guarnieri, manuscritos de música do Brasil Colônia, uma HQ sobre afrofuturismo, plataformas digitais e acessíveis de slam e um projeto musical sobre o mestre de capoeira Moa do Katendê, assassinado em 2018. Além dos projetos que serão fomentados pelo Rumos, o Itaú Cultural contemplou mais de mil artistas com editais de emergência ao longo do ano, uma ação motivada pelo contexto de pandemia. A lista completa dos contemplados pode ser vista no site do Itaú Cultural.