Rouanet de SP é publicada no mesmo dia em que Rouanet federal é interrompida

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (5) que as inscrições para o Pro-mac, o Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais, estarão disponíveis a partir das 9h da próxima segunda (8). O programa é uma lei de incentivo fiscal que permite que o contribuinte destine parte de impostos municipais —ISS e IPTU— a projetos culturais. O Pro-mac é conhecido como Lei Rouanet da Prefeitura de São Paulo, por também ser de renúncia fiscal. O total destinado para a captação é de R$ 30 milhões. Cada projeto poderá captar até R$ 600 mil. Serão contempladas linguagens como teatro, dança, música, hip hop, cultura popular, artes visuais e patrimônio histórico. Desde o ano passado, o programa tem um critério territorial na definição do tamanho das renúncias fiscais permitidas. Com base no IDH municipal de educação, o IDHM-E, dividindo a cidade em três faixas, visa priorizar projetos da periferia. Caso apoiem projetos culturais nos locais com os mais baixos valores desse IDHM-E, calculado a partir da escolaridade da população adulta da região e do fluxo escolar da população jovem (média de crianças e jovens frequentando a escola em diferentes etapas), as empresas terão um teto maior de isenção fiscal. O anúncio foi feito no mesmo dia em que o governo federal decidiu impedir que propostas culturais que pleiteiam incentivo via Lei Rouanet sejam analisadas e aprovadas nos próximos quinze dias caso elas envolvam "interação presencial" e sejam de estados onde atualmente vigoram medidas de restrição de circulação, toque de recolher ou lockdown. A portaria é vista pelo setor cultural como uma espécie de retaliação, por parte do governo Bolsonaro, a governos estaduais e prefeituras que adotam medidas restritivas e lockdown, com destaque para São Paulo. Recentemente, o secretário de Cultura do governo federal, Mario Frias, bloqueou no Twitter o secretário estadual de cultura de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. Os dois trocaram farpas na rede social. A Prefeitura nega que a antecipação do Pro-mac tenha a ver com a decisão do governo Bolsonaro. Apesar disso, afirma que o intuito é mitigar os impactos da pandemia no setor cultural. O mecanismo também é semelhante ao ProAC ICMS, suspenso pelo governo do estado de São Paulo por três anos. O ProAC também opera por meio de financiamento direto —Ou seja, editais, com um número limitado de vencedores— e este será mantido.