Roteirista defende série após críticas da família de Silvio Santos: 'Liberdade artística'

Por Celina Cardoso

Cenas da série O Rei da TV sobre a vida de Silvio Santos, exibida no Star+ (Foto: Divulgação/ Star+)
Cenas da série O Rei da TV sobre a vida de Silvio Santos, exibida no Star+ (Foto: Divulgação/ Star+)

Lançada em meados de outubro, a série "O Rei da TV" aborda a vida e obra do empresário e apresentador Silvio Santos. Mas a produção não agradou o dono do SBT nem seus familiares. Algumas das filhas de Silvio avaliaram a trama como "mal contada". Já o apresentador classificou a série como "piada".

Essas críticas, no entanto, foram encaradas com naturalidade por Mikael de Albuquerque, um dos roteiristas da série. O profissional ressalta que a trama é uma obra de ficção, apesar de ter sido construída com base em pesquisas de fontes diversas como livros, entrevistas e matérias de jornais e revistas, não só a respeito de Silvio, mas de outros personagens ali retratados.

“Além da pesquisa, contamos também com liberdade artística para criar. Em alguns momentos, a série é mais biográfica e, em outros, criamos elementos mais dramáticos. Esse recurso é comum em ficções para entreter o espectador, mas sempre utilizado com responsabilidade. Nosso propósito não foi endeusar ninguém, mas construir personagens humanos, com as virtudes e defeitos que todos temos. Isso deixa a produção mais interessante”, conta Albuquerque ao Yahoo.

Segundo o roteirista, O "Rei da TV" combina sátira, drama, comédia e surrealismo, com base na essência do universo daquilo que o SBT representa.

Histórias destacadas na série

A produção do Star+ lembra como Silvio Santos começou a trabalhar como aprendiz de camelô para ajudar a família em casa, mostra os primeiros passos dele na comunicação e destaca a rivalidade com Boni. Outras curiosidades são a forma como o empresário convenceu os ditadores da importância de manter a população entretida e conseguiu obter a concessão para colocar sua emissora no ar, além de menções à sua religiosidade e o apoio da família na construção de seu sucesso.

Silvio inovou ao tornar popular a linguagem da TV (Foto: Divulgação/ Star+)
Silvio inovou ao tornar popular a linguagem da TV (Foto: Divulgação/ Star+)

Reprovação da família

Primeiro, vieram as queixas das filhas de Silvio Santos dias após a estreia de "O Rei da TV". Segundo a Folha de S. Paulo, Daniela Beyrute deu início às críticas públicas.

"Assisti a um episódio e não vou assistir mais. Me perguntei: quem produziu isso? Com que intuito? (...) História mal contada, tantas inverdades, personagem arrogante, um Silvio Santos que ninguém conhece, nem conheceu. Lamentável! Perda de tempo. Aguardem uma produzida por nós... aguardem", declarou nas redes sociais.

Em seguida, Silvia Abravanel comentou na página da irmã. "Dani do céu... Tentei assistir também e me deu até medo, dos personagens ao enredo. Uma lástima!! Realmente, a impressão que dá é que foi de maldade, principalmente com a história do nosso pai, da nossa família. Lamentável", reforçou.

Depois, o próprio Silvio minimizou a produção. Em entrevista ao canal de Lucas Padula, no Youtube, ele disse que a trama é "meio piada". "Foi mal feita, não foi bem feita. Eles podiam fazer melhor. Não lembro dos atores da série, mas foi muito mal feita, podia ter sido mais bem feita".