Rodrigo Cintra, de Esquadrão da Moda, quer abrir rede de salões populares

MARIANA ARRUDAS
·4 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Rodrigo Cintra, 41, um dos cabeleireiros mais conhecidos do Brasil e ícone do programa Esquadrão da Moda (SBT) desde 2009, quer criar uma rede de salões a preços mais acessíveis. Segundo ele, o projeto já tem até nome e só aguarda o "momento certo" para concretizar. "Minha ideia é o The Art Saloon ser o salão 'premium' e ter uma rede de 29 salões com preços mais acessíveis", explica ele, que inaugurou The Art Saloon no final ano passado, em área nobre de São Paulo. Já o novo projeto deve batizado de Espaço Cintra Hair e Beauty. Enquanto não chega o momento certo, Cintra tem se aventurado como confeiteiro, no programa Bake Off Brasil - Celebridades (SBT). Após um mês de competição, ele continua na disputa com nomes como do ex-BBB Pyong Lee, 28, e do jornalista Dony de Nuccio, 36. Com a pandemia, o cabeleireiro segue com seu salão fechado devido às medidas de segurança. Localizado na região dos Jardins, ele tem 800 m² e mais de 70 vagas e conta atualmente com 82 colaboradores. Segundo ele, foram atendidos mais de mil clientes em seu primeiro mês. Mas não foi apenas o salão que parou com a pandemia. O programa Esquadrão da Moda também segue em reprise. "O que foi passado para nós, apresentadores, é que quando tivermos a vacina retornam as gravações", conta em entrevista pelo telefone ao F5. Sobre o programa, o cabeleireiro diz que é uma produção que foge do que o público já é acostumado. "É o único [programa] de beleza e moda em um canal aberto". "Hoje temos muitos de reforma e culinária, e não temos praticamente de moda e beleza". Apesar de ser uma parte "temida" por muitas mulheres que participam do "makeover", a transformação é o que encanta o profissional. "Tem gente que estranha, fica brava, fica triste, fica feliz e se emociona." Porém, ele diz que sempre faz questão de explicar os processos e como manter os cuidados do cabelo. São poucos casos de mulheres que não gostam da parte do cabelo, garante. Mas Cintra recorda que já teve insatisfação sim, com direito a memes e comentários maldosos, após um episódio de 2013. "O pessoal sacaneia na internet, mas se você pegar o antes e depois ficou bem diferente". YouTube Participante critica corte feito por Rodrigo Cintra Participante critica corte feito por Rodrigo CintraO Esquadrão da Moda deste sábado encarou uma participante osso duro de roer. Lilian é uma mulher de 37 anos viciada em cirurgias plásticas e que adora se exibir em looks curtos e justos. MILITAR A CABELEIREIRO O que muitos não sabem é que nem sempre Cintra esteve no mundo da beleza. "Eu estava estudando para fazer uma prova para a Força Aérea Brasileira, eu ia seguir carreira militar", conta sobre suas aspirações antes de se tornar cabeleireiro. Ele conheceu a profissão por uma tia, que o convidou para ir ao salão que ela trabalhava: "Fui de curioso, só para ver se gostava, mas já sabia que ia seguir na carreira militar. Quando cheguei lá mudou tudo, eu realmente me apaixonei pela profissão". Depois disso, aos 19 anos, buscou se profissionalizar e ficou um ano e meio na Europa fazendo cursos. "Voltei para o Brasil e comecei como profissional", afirma. "Eu já tinha uma maior versatilidade de cortes. Isso me abriu portas para a questão da transformação, e foi o que eu comecei a fazer". Antes de chegar à televisão, o cabeleireiro trabalhava com revistas em páginas de "antes e depois". Além disso, ele também fez carreira no mercado educacional. "Comecei a juntar grupos de cabeleireiros e dava aula do que eu aprendi na Europa". Cintra começou a ficar conhecido entre os profissionais de beleza e então foi chamado pela Band para participar de alguns programas. "Lá eu fiz o Dia a Dia, o Atualíssima e o Bem Família. Fiquei quatro anos na Band", conta. Depois desse período, foi chamado para participar do Esquadrão da Moda. "Foi uma oportunidade de trabalho em rede nacional e no horário nobre, então realmente foi uma virada", relembra, "foi um divisor de águas, das pessoas conhecerem minha pessoa e o meu trabalho". Apesar da fama, Cintra prefere se manter discreto e apostar na união de seu trabalho com as redes sociais. "Sou mais reservado, um cabeleireiro 'low profile'. Gosto de fazer um trabalho pessoal, no salão e fazer divulgação", explica ele, que as vezes posta até com os filhos: Vinícius e Isabella. Agora, com mais de 25 anos de carreira, o cabeleireiro volta ao tempo de educador e disse que desenvolveu uma plataforma de treinamentos online chamada Formadores da Beleza, onde dá aulas para novos profissionais. "Já fiz uns dois lançamentos lá, estou indo para o terceiro. É uma plataforma educacional online para profissionais de beleza", explica. Por fim, ele revela que tem alguns projetos com o SBT, mas diz que "aí eu realmente não posso falar".