Não é só Anitta: Rock in Rio já foi alvo de críticas de Rita Lee e boicote de bandas

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Após o fim do Rock in Rio 2022, Anitta usou suas redes sociais para mostrar que o festival está longe de ser uma unanimidade entre os artistas. Na tarde desta segunda-feira (12), a funkeira reclamou da falta de reconhecimento por entender que foi precursora do funk dentro da história do festival, além de ter apontado que Ludmilla merecia mais destaque em meio às atrações internacionais.

Mas a Girl from Rio não é a única a ter ressalvas com o evento da família Medina. Ao longo das edições do evento já realizadas, outros artistas já se pronunciaram. Relembre alguns casos:

Rita Lee

Ainda ontem, internautas recuperaram um vídeo de 1991 em que Rita Lee já reclamava da produção do Rock in Rio. Em entrevista à Marília Gabriela, a roqueira comentou que sua experiência na primeira edição do festival mostrou que não se preocupavam com o bem estar dos artistas nacionais.

"Eu estive no primeiro Rock in Rio. Eu gosto muito de festival, acho que o rock é muito planetário. Aí eu achei que no primeiro que eu participei tinha algo muito estranho. Os músicos brasileiros ficaram de cobaia pra testar luz, som, não podia ensaiar. Na noite que eu toquei era a do Ozzy Osbourne, ele come morcego, eu sou vegetariana. E de repente eu tinha que ficar ali naquela posição, e não era só comigo, houve uma grande falta de respeito", reclamou a artista.

Boicote de bandas

Em 2011, seis bandas brasileiras decidiram boicotar o festival para protestar por cachês dignos para as atrações nacionais. O Rappa, Skank, Raimundos, Cidade Negra, Jota Quest e Charlie Brown Jr. se revoltaram com a tradição do evento, que costuma colocar as atrações nacionais para abrir as noites em um horário no qual o público ainda não chegou.

Posteriormente, todas as bandas, exceto O Rappa, se apresentou em edições posteriores do festival. Jota Quest, inclusive, aceitou substituir o trio de rapper Migos, abrindo a programação do Rock in Rio no primeiro domingo (4).

Entenda o desabafo de Anitta

Anitta iniciou a discussão ao apontar ingratidão por tudo que acredita ter feito pelo funk antes de alçar voos internacionais. "Agora que já acabou de fato e não tem mais outra semana... Para não deixar ninguém de fora. Vim mandar o meu DE NADA", publicou no Twitter.

Após diversas especulações sobre estar mandando indireta para Ludmilla, já que a Rainha da Favela foi atração principal do Palco Sunset no domingo (11) e as duas não se dão bem, a Girl from Rio fez questão de rebater os comentários. Ao compartilhar a explicação de um internauta, ela confirmou que estava se referindo a falta de reconhecimento por ter brigado pelo funk antes, já que foi atração do Palco Mundo no Brasil, em 2019, e em Lisboa, em 2022.

"Ela está respondendo ironicamente aos que são mal agradecidos, porque sim, foi a Anitta quem brigou para ter funk no RIR", escreveu o perfil de Alexandre, repostado pela cantora. "Obrigada querido. Exatamente isso que quis dizer. Não estou mandando indireta a NINGUÉM especifico...Nunca fiz...Não seria agora", publicou ela.

Anitta também criticou o fato do festival colocar Ludmilla no Palco Sunset, em vez do protagonismo do Palco Mundo. "Para quem tá dizendo que estou incomodada com o show de fulana. Independentemente das minhas questões pessoais, minha opinião profissional é que deveria ter sido colocada no lugar respectivo ao seu sucesso...Palco Mundo. Então, isso tem a ver com um buraco muiiiito mais embaixo", acrescentou, ressaltando ainda que "não pisa neste festival nunca mais".

Ludmilla X Léo Dias

Essas declarações tomaram conta das redes sociais na segunda-feira e na tarde desta terça (13) tiveram mais um desdobramento. O colunista Léo Dias publicou um texto em concordância com o posicionamento de Anitta, mas desagradou Ludmilla ao dizer que a funkeira não deveria ter aceitado o Palco Sunset. A cantora rebateu a crítica e trocou farpas com o jornalista nas redes sociais, ainda que o texto dele reunisse outros diversos elogios ao show dela.