Com investimento milionário no Rock in Rio, Ludmilla vai inaugurar era "mais madura"

Registro de Ludmilla no primeiro domingo do Rock in Rio 2022, dia 4 de setembro (Paulo Tauil/ Brazil News)
Registro de Ludmilla no primeiro domingo do Rock in Rio 2022, dia 4 de setembro (Paulo Tauil/ Brazil News)

Resumo da notícia:

  • Ludmilla busca repertório maduro em era inaugurada no Rock in Rio

  • Em entrevista ao Yahoo, cantora adiantou bastidores do show no Palco Sunset

  • Ela ainda contou mais detalhes sobre investimento milionário para estrutura do show

Investimento de R$ 2 milhões e apresentação de nova era irão marcar a estreia de Ludmilla no Rock in Rio 2022. A cantora se apresenta como atração principal do Palco Sunset, neste domingo (11), e adianta alguns detalhes ao Yahoo sobre o show que promete surpreender o público da Cidade do Rock.

"Vai ser uma nova era sobre o que eu vou falar nas músicas. Uma nova era das batidas, das vibrações, está diferente", inicia a artista, que garante um novo discurso em seu repertório. "Relativo a show, de trazer coisas grandes, efeitos, pirotecnia, bailarinos, banda, isso a gente já faz há um tempo. Vai ser a nova era sobre papo. Mais madura. Mulher confiante", completa.

Na celebração dos 10 anos de estrada como artista, Ludmilla garante tecnologia de última geração na estrutura de sua performance. "Gasto tanto dinheiro em coisas que não vão fazer muita diferença na minha vida. Então, pensei que quero investir no show, que é uma coisa que eu gosto muito e que já estava na hora de investir num show novo pop. O último que eu tinha investido era o Hello Mundo, depois investi no Numanice e agora eu investi na nova era", afirma.

O detalhe é que a carioca terá uma iluminação voltada para ela durante toda a apresentação. A ferramenta tem capaz de iluminar uma cidade com 1200 habitantes. "Está tudo muito caro. Até o que vai passar no telão, você tem que comprar e é muito caro. Então, eu investi em tudo, nas coreografias, em ensaio, no cenário, iluminação, led, imagens", declara.

Estarei usando um chip, que vai estar acoplado no meu corpo, que é uma tecnologia nova. A luz do palco todo me acompanha pelo chip que vai estar comigo"Ludmilla

Reconhecimento do funk

Ludmilla ressalta como a conquista de integrar o line-up do Rock in Rio é ainda maior quando se trata de uma artista originária do funk. "O caminho sempre foi mais difícil para mim. Por mais que eu estivesse fazendo sucesso com as músicas na boca do povo, eu sempre preciso mostrar algo a mais para estar nos lugares", reflete ao citar o espaço que o gênero ganhou nessa edição com shows no Espaço Favela em outros momentos do evento.

Ver o funk ocupando esse espaço é muito emocionante e especial, porque o funk é cultura"Ludmilla

Ela ainda pontua como o ritmo deveria ser reconhecido como qualquer outro gênero musical, mas sofre preconceito por dar voz ao povo pobre. "A gente tem que se esforçar três vezes mais para ser reconhecido. Ainda bem que a gente não desiste. De onde eu venho, desistir não é uma opção", conclui.