Rock in Rio: Anitta explica playback em show que "quebrou preconceitos"

Anitta no Rock in Rio. Foto: Francisco Cepeda/AgNews

Pouco depois de levar o funk para o palco principal do Rock in Rio e lotar o festival com uma plateia de vips, Anitta justificou o uso de playback em seu show de estreia no evento. Segundo a cantora, é impossível não usar vocais de apoio em uma apresentação como a dela, que tem muitas coreografias.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“Quando é um show que tem muita dança, normalmente são gravadas partes de apoio, sim, para os momentos em que a coreografia é mais pesada. Não tem como você fazer uma hora sem parar como é o meu set. A gente fez apenas cinco minutos sem dança. Então, em alguns momentos, é preciso ter a voz de apoio. Em outros, eu canto solo. Faz parte do meu show e é isso aí. A galera que entenda”, afirmou ela, em entrevista coletiva após a performance, segundo o G1.

Leia também:

Anitta abriu os trabalhos no Palco Mundo no último dia de festival, que teve ainda H.E.R., Black Eyed Peas e Pink. Ela comentou ainda a diferença de tratamento da organização com artistas estrangeiros e nacionais. Por causa do atraso de outras atrações internacionais, ela não conseguiu passar o som.

“A gente entrou no palco sem conhecê-lo. Quando nos deram, o festival já tinha começado. Entramos no palco ainda tentando entender o espaço. Apesar de todos os pesares, deu tudo certo no fim. Conseguimos fazer um show muito legal. A gente se divertiu. Só não fiquei totalmente satisfeita porque sou muito perfeccionista”, afirmou.

Ainda assim, ela se sentiu realizada por representar o funk no festival. “Foi uma quebra de preconceitos, de barreiras, eu trabalhei muito para chegar a esse ponto. Todo o meu trabalho foi pensando nisso. Meu sonho era ter o funk reconhecido. Desde o meu início, por ser uma artista de funk, o tratamento sempre era diferente. Era de qualquer jeito, sem estrutura. Eu sempre quis trabalhar para que isso mudasse”, afirmou.

Durante o show, Anitta agradeceu a si mesma por chegar ao Rock in Rio. “Se eu fosse contar pra vocês tudo que aconteceu na minha história até chegar nesse momento, talvez vocês não acreditassem, talvez nem eu. A gente tem que agradecer para não dizerem que a gente não é humilde, mas quero agradecer a mim hoje, por não ter desistido. Passou um filme na minha cabeça”, disse.