Roberto Justus revela convite de Temer para ser candidato à Presidência do Brasil

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Roberto Justus contou que recebeu convite para concorrer à presidência da República  (Foto: Agnews)
Roberto Justus contou que recebeu convite para concorrer à presidência da República (Foto: Agnews)

Resumo da Notícia:

  • Roberto Justus falou sobre sua opinião política em relação ao Brasil

  • Apresentador criticou o ex-presidente Lula (PT) e o atual presidente Jair Bolsonaro (PL)

  • Empresário já foi convidado por Michel Temer a ser presidente do país

Roberto Justus revelou já ter sido chamado para se candidatar à presidência da república. Durante entrevista ao podcast Ticaracaticast, o apresentador contou que recebeu um convite do ex-presidente Michel Temer (MDB) em 2018, quando ele assumiu o lugar de Dilma Rousseff (PT) após o processo de impeachment.

"Sabe de uma coisa… Primeiro que eu jamais faria isso, mas em 2018, o ex-presidente Temer quando ele assumiu o lugar da Dilma, quando ele decidiu que não ia concorrer porque a popularidade dele não era boa, [e por sinal] ele foi o melhor presidente dos últimos tempos se vocês pararem pra pensar, ele foi muito equilibrado como presidente na época…", opinou.

"[…] E aí, ele me chamou em Brasília perguntando se eu não queria ser a terceira via. [Ele disseram]: 'Você tem uma imagem muito forte como empresário, você não quer pensar ser uma terceira via?' E isso [convite] foi antes do Bolsonaro. A pessoa tem que ser um político profissional para ser presidente, e eu não sou", afirmou o marido de Ana Paula Siebert.

Roberto Justus expõe o que pensa sobre atual situação política do país

Roberto Justus também alfinetou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Eu faço uma pergunta pra vocês: num país onde um ex-presidiário pode virar um presidente da República de novo, porque ele [Lula] não foi inocentado, né? […] Mas se os juízes decidiram assim, podemos até dizer que está ok. Mas então julga de novo. Não é ficha limpa uma pessoa que os caras devolveram milhões para a Petrobras", iniciou.

"[…] Empresários foram presos por reconhecer que roubaram, e o cara pode ser de novo nosso presidente da República. Nada contra a pessoa física dele, mas sim a forma como ele atuou e tudo o que eles fizeram por este país. O Brasil é o país do jeitinho, onde tudo se ajeita. A impunidade rola solta no país", acrescentou.

Roberto Justus detonou ainda o governo Bolsonaro (PL): "É uma loucura ser empresário no Brasil com insegurança institucional e jurídica. Como que atrai negócios para um país como esse em que o presidente [Bolsonaro] também trás uma insegurança dessa, com o extremo para o outro lado? Como o Brasil precisa de um equilíbrio e de bom senso, nem um lado, nem outro".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos