Retaliação do Irã aos EUA faz bolsas caírem e petróleo disparar ao redor do mundo

Foto: REUTERS/Jason Lee

O mercado viu quedas em diversas bolsas ao redor do mundo após um ataque do Irã a duas bases militares dos Estados Unidos no Iraque, uma retaliação à operação norte-americana da semana passada que matou o general Qassem Soleimani em Bagdá.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Os índices da China registraram nesta quarta-feira (8) a maior queda em duas semanas, revertendo parte dos ganhos vistos nos últimos 15 dias. Algumas das bolsas da Europa também viram leves quedas, enquanto o mercado dos EUA apenas oscilou. O preço do petróleo e do ouro disparou.

Leia também

O preço do petróleo chegou a subir mais de 5% logo após os ataques em diversos fornecedores globais. O ouro, ativo buscado em tempos de incerteza e que vinha em alta por conta da guerra comercial entre EUA e China, começou o o dia em alta de 0,5%.

Nos EUA, as bolsas S&P 500, Dow Jones e Nasdaq oscilaram, resultando numa queda média de menos de 0,1%. Segundo o analista Neil Wilson, da Markets.com, ouvido pelo Business Insider, a resposta do mercado não foi tão drástica porque a incerteza sobre o futuro agora é menor.

“Finalmente sabemos qual é a resposta do Irã”, explicou. “Isto pode reduzir a incerteza a menor que vejamos uma escalada [no conflito].”

Na Europa, o impacto também foi leve. A Euro Stoxx 50, a FTSE 100 e a CAC Index caíram cerca de 0,2%. Na Ásia, porém, as quedas foram maiores. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, teve queda de 1,15%, enquanto o índice de Xangai perdeu 1,22%. Ambos registraram as maiores quedas desde 23 de dezembro.

Em Tóquio, no Japão, o índice Nikkei recuou 1,57%, a 23.204 pontos. Em Seul, na Coreia do Sul, o índice Kospi teve desvalorização de 1,11%. Taiwan e Cingapura também viram quedas de até 0,50%.