Responsabilidade afetiva: o que Gusttavo Lima e Luísa Sonza têm em comum?

Marcela De Mingo
·5 minuto de leitura
Luíza Sonza e Gusttavo Lima (Foto: Montagem / Instagram)
Luíza Sonza e Gusttavo Lima (Foto: Montagem / Instagram)

A separação de Gusttavo Lima e Andressa Suita foi uma surpresa para muitos tanto quanto o fim do casamento de Luísa Sonza e Whindersson Nunes. No entanto, uma coisa difere - e muito - as duas situações: o tratamento que Gusttavo e Luísa receberam quando o assunto veio à tona.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

Meses depois da separação, Luísa abriu publicamente a sua relação com o também músico Vitão, e a explosão foi gigante: uma série de críticas, comentários maldosos e xingamentos sobre a índole e o caráter da cantora, muitos deles machistas e ofensivos, que a colocavam como vilã da história.

Luísa, inclusive, se manifestou sobre o assunto, sendo clara que ser uma mulher bem-sucedida, com uma carreira meteórica, não desce para aqueles que têm certeza que toda mulher precisa de um homem para alcançar qualquer coisa - esse foi, aliás, o argumento de muitos haters: que a cantora se casou com o humorista só para embarcar na sua fama -, o bom e velho oportunismo.

Leia também

Já com Gusttavo, a situação foi um pouco diferente. Um dia depois de anunciar a separação, aparentemente sem motivo algum, lançou uma música nova como se nada tivesse acontecido. Existem rumores, claro, de um "pivô": a modelo Huma Kimak que, supostamente, seria o novo interesse amoroso do cantor, mas que já desmentiu tê-lo conhecido nas redes sociais.

Fato é: quando o assunto é o cantor - que já teve a sua cota de comentários machistas, diga-se de passagem -, os comentários são mais brandos. Sertanejo, que sempre valorizou a família e é aparentemente um homem de valores fortes, desfez um casamento do dia para a noite (literalmente) e recebeu a empatia dos fãs - não só isso, mas ganhou mais de 200 mil novos seguidores no Instagram.

O ponto crucial é o mesmo, a responsabilidade afetiva. Seja Gusttavo Lima, seja Luísa Sonza, é impossível saber o que acontecia entre quatro paredes, mas onde fica a responsabilidade afetiva pelo término de um relacionamento? Se essa é, de fato, a questão, então parece que Gusttavo passou longe do termo (e seu real significado), já que, de acordo com Andressa, ele acordou a agora ex-esposa no meio da noite para anunciar a separação, sem maiores explicações ou oportunidades de conversa.

Ao mesmo tempo, vemos como é fácil passar pano para o homem e atacar as mulheres. Huma, que caiu na história de paraquedas, já foi atacada nos comentários do Instagram por um boato que as pessoas nem sabem se é verdade. Enquanto isso, a música de Gusttavo Lima continua ganhando likes no Youtube e, como comentamos, o seu número de seguidores segue crescendo.

Verdade, muitas pessoas apelaram para o lado emocional e religioso do cantor, pedindo para que ele "colocasse a cabeça no lugar e não abandonasse a família”, que pedisse apoio aos céus para refazer os erros cometidos. E tudo isso é digno, afinal, como uma pessoa pública, com uma família que se expõe constantemente nas redes sociais, era de se esperar que os fãs idolatrassem o seu relacionamento e esperassem mais do ídolo.

No entanto, Luísa, uma mulher em contato com a sua sexualidade, dona de si, confiante, não recebeu o mesmo suporte online. Para ela, só críticas e xingamentos, muitos falando a respeito de sua imagem e aparência. Ela, inclusive, não é a única a sofrer desse mal. Recentemente, Gaby Amarantos comentou como é comum perder seguidores ao publicar imagens do seu corpo, celebrando as suas formas, enquanto homens como o também sertanejo Zé Neto ganha mais de 600 mil seguidores ao publicar uma foto que mostra o “volume” da sunga. O tema central pode não ser o mesmo, mas o machismo implícito, sim.

Términos são sempre dolorosos e complicados, e via de regra, não se sabe como vieram a acontecer. Por isso mesmo, qualquer julgamento é absolutamente desnecessário, uma vez que ninguém, a não ser os envolvidos, têm condição de considerar todas as premissas que levaram ao fim. A questão que queremos levantar é a diferença de tratamento entre um lado e outro, de forma que a mulher é sempre vilanizada e o homem, a vítima, aquele que se deixou levar por algum fator externo (quer seja fama ou outra mulher) e esqueceu dos seus valores.

No fim das contas, o ideal não é defender ou atacar posturas, mas compreender que relacionamentos terminam e começam por motivos que, muitas vezes, não conseguimos explicar. A responsabilidade afetiva recai sobre o quanto as duas pessoas são sinceras para conversar sobre o que sentem e honestas para tomar uma decisão tranquila de seguirem juntas ou por caminhos separados.

Agora, se a balança pesou para um lado ou para o outro, talvez o ideal seja refletir sobre o porquê dessa necessidade de romantizar o casamento de celebridades e, principalmente, de demonstrar apoio a um e vilanizar o outro - ainda mais quando esse "outro” é, de novo e de novo, uma mulher.