Repórter do 'BBB', Nyvi Estephan luta pelas mulheres: 'Vim para isso'

Nyvi Estephan é repórter da Rede BBB na 20ª edição do reality show (Foto: Reprodução/Instagram @nyviestephan)

Nyvi Estephan é a nova repórter do ‘Big Brother Brasil 20’ e, ao lado de Ana Clara Lima e Fernanda Keulla, ela comanda a programação da ‘Rede BBB’. Mas a paulistana de 28 anos, que ainda pode ser desconhecida para alguns, não caiu de paraquedas na televisão. Nativa da internet, a jovem é apresentadora de esportes eletrônicos desde 2014 e uma das mulheres pioneiras no universo dos games no país.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Acostumada com as câmeras (ela apresentou o programa ‘e-SporTV’ na TV paga) e a falar com muita gente (só no Instagram tem mais de 1 milhão de seguidores), Nyvi encara um novo desafio nesse começo de 2020: aprender a se comunicar com o público do reality show. Mas ela vai tirar isso de letra, afinal, de ‘BBB’ a morena entende... Há seis anos, a repórter se inscreveu para o programa, passou por algumas etapas, mas não foi aprovada para integrar o elenco daquele ano.

Leia também

Nyvi acredita que não sobreviveria ao confinamento por ser “trabalhadora e inquieta”. “Estava há pouco tempo na internet naquela época, então fazia sentido ficar três meses na casa. Achei que seria legal ficar de folga, curtindo a piscina, as festas... Mas depois que vi que não é tão fácil. Não teria psicológico”, diz em entrevista ao Yahoo. O mundo dá voltas, não é mesmo?!

O novo momento no ‘BBB’ não significa que Nyvi vai deixar a carreira nos eSports para trás, pelo contrário. Sua missão é continuar inspirando meninas que sonham em seguir carreira nesse meio. “Enquanto fazemos o nosso trabalho, não sabemos o quanto impactamos na vida dos outros. Quando recebo mensagens de pessoas que dizem que querem ser igual a mim e que eu ajudo as mulheres a crescerem nos esportes eletrônicos, penso ‘foi para isso que eu vim mesmo’”, diz.

Nyvi é apresentadora de esportes eletrônicos (Foto: Reprodução/Instagram @nyviestephan)

“Não me considero uma musa”

Assim que sua participação na ‘Rede BBB’ anunciada, Nyvi foi chamada de “musa dos gamers” em todos os cantos da internet. A expressão gerou discussão nas redes sociais: muitas mulheres enxergaram uma conotação machista no título que foi atribuído a ela, mas a repórter não se incomodou. “Entendo que as pessoas não tem a intenção de fazer um comentário ruim quando falam isso, elas estão fazendo um elogio. Não acho pejorativo, mas também não me considero uma musa, deixo isso para os outros decidirem. Sou uma profissional do eSports que tem muito amor por esse mercado e que trabalha para que ele seja mais conhecido”, declara.

“Sou privilegiada, mas sei que muitas mulheres sofrem machismo”

Nyvi entrou no mundo geek fazendo cosplay, jogando e promovendo campeonatos amadores na casa dos amigos. De 2013 pra cá, muita coisa aconteceu e, hoje, está na posição “dos sonhos”. Em novembro do ano passado, inclusive, ela foi eleita a terceira melhor apresentadora de eSports do mundo em uma premiação internacional renomada. Porém nem sempre foi fácil: a jovem já sofreu com o machismo e se empenha para mudar essa realidade para as suas colegas jogadoras, narradoras e apresentadoras.

“Sou privilegiada, conquistei muitas coisas no meio, mas as mulheres ainda sofrem machismo. Hoje mesmo soube de uma menina que tava sendo perseguida por um menino dentro de um jogo. Quero que sejamos cada vez menos ‘estranhas’ nesse universo. Uso minha voz ativa para que elas não precisem mais passar por esse tipo de situação”, afirma.

“Me permitiram sonhar”

A repórter, que é formada em design de moda, se orgulha da sua trajetória nos esportes eletrônicos. “Batia nas portas das empresas para pedir patrocínios, premiações... Ajudei a fomentar categorias de base. Vários jogadores que hoje são profissionais renomados no cenário começaram junto comigo”, relembra Nyvi. Ela também celebra a sua capa da ‘Playboy’ em 2016, um momento importante da sua carreira. “A minha revista foi muito bacana. Foi uma das primeiras edições com alguém da internet”, conta. A decisão de posar nua foi apoiada pela mãe, que “previu” esse trabalho e as oportunidades na emissora carioca.

“Antes de posar para a ‘Playboy’, recebi uma proposta de outra revista masculina. Era humilde na época, o dinheiro seria bom, mas minha mãe disse para eu não fazer. Ela falou que eu receberia uma proposta melhor e ainda seria capa. E quando falei sobre o dinheiro, ainda disse: ‘quando você for para a Globo, você me ajuda’”, relembra. Dito e feito! E os planos para o futuro? Segundo a mãe, Nyvi ainda vai apresentar o ‘Fantástico’, mas, por enquanto, ela quer conquistar o prêmio de apresentadora número 1 de eSports. “Adoro desafios e gostaria de ser indicada no eSports Awards de novo. Não esperava o 3º lugar... Me permitiram sonhar”, finaliza.