Repórter da Globo, que foi xingada pelo presidente, é vítima de fake news

·1 minuto de leitura
Reprodução Instagram

Vítima de fake news de apoiadores do governo, Laurene Santos, repórter da TV Vanguarda, afiliada da Rede Globo, que foi maltratada ao vivo pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), precisou usar as redes sociais para alertar a circulação de uma foto dela, com outros dois colegas de trabalho sem máscara.

“Ué, na escola de especialista na formatura de ontem sem máscara? A hipocrisia destes da Globo chega a ser vergonhoso”, escreveu um apoiador do presidente. Ela precisou explicar que a foto postada é antiga. Na mensagem ela disse: “Atenção: Esta foto está sendo compartilhada nas redes sociais com uma informação falsa. O registro foi feito antes da pandemia, na cidade de Aparecida. Aproveito para reiterar meu respeito às inúmeras manifestações de apoio”, contou.

Leia também:

Após a repercussão do caso, a emissora se manifestou em prol da jornalista e disse: “A Globo e a TV Vanguarda repudiam o tratamento dado pelo presidente à repórter Laurene Santos, que cumpria apenas o seu dever profissional. Não será com gritos nem intolerância que o presidente impedirá ou inibirá o trabalho da imprensa no Brasil”.

Andréia Sadi, jornalista da ‘GloboNews’, também se manifestou sobre o assunto: “Inacreditável e inaceitável mais um ataque do presidente Bolsonaro à imprensa. Minha solidariedade aos colegas que foram alvos, hoje. Ataque a um colega é ataque à liberdade de imprensa, à democracia. Nunca demais e cada vez mais necessário lembrar o óbvio: “cala boca já morreu”, escreveu em sua conta no twitter.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos