Repórter da GloboNews tem crise de tosse e interrompe transmissão ao vivo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A repórter da GloboNews Fernanda Rouvenat teve uma crise de tosse que interrompeu sua entrada ao vivo na edição do meio-dia do jornal. A jornalista até tentou concluir sua fala, mas, na terceira vez em que a tosse a fez engasgar, precisou interromper a transmissão temporariamente. A âncora do jornal Mariana Queiroz tranquilizou a repórter: "Não tem problema não".

Fernanda tinha sido convocada para falar sobre o decreto de prisão preventiva a apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) acusados de realizar atos de vandalismo em Brasília. "Eu vou chamar a Fernanda, diretamente de Brasília, ela tem mais informações. Essas prisões preventivas foram decretadas pelo ministro Alexandre de Moraes, é isso?", disse a âncora.

A repórter começou a responder, mas foi interrompida pela tosse. "Essa prisão não tem prazo para terminar. O ministro Alexandre de Moraes do STF [Supremo Tribunal Federal] decretou essas prisões dos quatro investigados por atos de vandalismo aqui em Brasília...", falava Fernanda quando começou a tossir. "Perdão, daqui a pouquinho eu volto", pediu.

"É melhor, não tem problema não. Toma uma água aí", aconselhou a âncora. "Enquanto isso, eu vou falar de outro assunto e a gente já volta a falar com a Fernanda depois do copo de água", complementou Mariana.

A repórter voltou ao ar alguns minutos depois, convocada pela âncora: "Já estou de volta com a Fernanda, agora recuperada depois de um copo de água". "Isso, Mari. Eu peço perdão, acabei me engasgando, tomei um copo de água e já estou 100% recuperada", respondeu a repórter.