Reler seu livro favorito pode contribuir para a saúde mental, dizem especialistas

·5 min de leitura
Reler seu livro favorito pode contribuir para a saúde mental, dizem especialistas. Foto: Getty Images
Reler seu livro favorito pode contribuir para a saúde mental, dizem especialistas. Foto: Getty Images

Após um longo dia de reuniões no Zoom, finalmente chegou a hora de ir para a cama. Você se enrola nas cobertas, com o esgotamento no máximo, sem nenhuma disposição para mais uma tela. O que fazer? A resposta é simples: comece a ler seu romance favorito.

Os bibliófilos releem livros avidamente várias vezes por anos. Mas é importante saber que a leitura não se resume à emoção de mergulhar numa trama intrigante com o virar das páginas.

Leia também:

Ler um livro pela primeira vez é como montar um quebra-cabeça: sua concentração está em juntar as peças, entender os personagens e o enredo do livro. No entanto, a segunda leitura oferece uma experiência totalmente diferente. Tudo fica mais confortável. Você sabe o que vai acontecer e sabe como vai acontecer.

A Dra. Shira Gabriel-Klaiman, professora de psicologia da Universidade de Buffalo, fez uma pesquisa sobre os benefícios da releitura dos nossos livros favoritos.

"Reler livros pode nos dar uma sensação de conexão com os personagens e os contextos sociais que compõem a história", declarou Gabriel-Klaiman em uma entrevista ao Yahoo Canadá. "Por exemplo, relendo os livros da série 'Harry Potter', você pode, a cada nova leitura, sentir uma conexão com Harry e seus amigos e sentir como se fosse parte daquele mundo mágico. E toda vez que você lê, essa conexão é reforçada. Reler pode ajudar a afastar a sensação de solidão e fazer você apreciar mais sua própria vida."

Seja um hábito ou não, é reconfortante repetir uma coisa agradável. Reler seus livros favoritos pode trazer o mesmo tipo de estímulo mental que rever seus filmes favoritos ou viajar para lugares semelhantes durante as férias. Quando você associa uma coisa ou um lugar a memórias positivas, é mais fácil se deixar levar por um sentimento de satisfação e tranquilidade.

Aparentemente, reler seus romances favoritos está correlacionado à sua saúde mental. Quaisquer que sejam suas fontes de preocupação — o fim de um relacionamento, a vida em isolamento, o luto ou a depressão —, reler um romance que você conhece bem pode ser o remédio que você estava procurando.

O desconhecido, principalmente em tempos sem precedentes como o que estamos vivendo, pode ser extremamente amedrontador. Saber como algo vai acabar pode trazer uma sensação de bem-estar. Encontrar conforto nas páginas amareladas do seu romance favorito pode ajudar a combater o estresse, aumentar a autoconfiança e estimular a interação com as pessoas (tchau, ansiedade).

"As pessoas que estão ansiosas para se aproximar de parceiros 'reais' de relacionamento podem se dar bem com livros", afirma Gabriel-Klaiman. "Um livro não traz o risco de rejeição, e se você já conhece essa história, não terá que se preocupar com surpresas desagradáveis.

Pessoas introvertidas tendem a se beneficiar da releitura, assim como as que buscam proximidade com pessoas, mas temem a rejeição."

De acordo com Gabriel-Klaiman, reler romances ajuda a melhorar seu humor e as relações com as pessoas.

"Qualquer livro que contenha uma narrativa pode nos dar uma oportunidade de conexão com outras pessoas e pode reduzir nossa solidão", ela explica.

A história que você escolhe, não importa se já é conhecida ou se será sua primeira leitura, pode trazer muitos benefícios para seu estado mental e bem-estar. Talvez você precise de uma válvula de escape ou queira ler sobre situações que se assemelham à sua vida. Livros são a forma mais genuína de escapismo, se comparados a outras formas de arte, como filme, música e podcast.

Quantas vezes assistimos a reprises de "Friends" ou revimos filmes clássicos como "As Patricinhas de Beverly Hills" ou "Legalmente loira"? Se assistimos a nossos filmes favoritos várias vezes, por que não faríamos o mesmo com os livros?

Diferentemente da experiência visual da tela da TV, do computador ou do tablet, ler um livro estimula a imaginação, já que exige criar mentalmente as imagens que o livro descreve. Esse é um processo muito mais envolvente e que oferece um desafio saudável ao cérebro. Se você faz exercícios para seu corpo, por que não fazer o mesmo para sua mente?

A leitura tem valor terapêutico incomparável. De acordo com um artigo publicado na revista Psychology Today pelo Dr. Keith Oatley, um reconhecido especialista em psicologia cognitiva da Universidade de Toronto, a "terapia da leitura" pode ajudar a atenuar os sintomas da depressão.

Young woman relaxing on sofa under the lamp and reading book with stack of books at home
A leitura tem valor terapêutico incomparável. Foto: Getty Images

Além disso, "ler ficção pode aumentar a empatia, as competências sociais e a compreensão interpessoal do leitor". A ficção literária, que ilustra os pensamentos íntimos e os sentimentos dos personagens, ajuda a desenvolver a habilidade de entender as diferentes crenças e os anseios das pessoas.

Se você precisa de uma dose extra de empatia, tire um livro da estante e mergulhe em uma história cativante. Oatley explica que "a ficção pode nos ajudar a entender nossa experiência social".

Quando você se envolve profundamente com um personagem que conhece e admira, é natural sentir empatia por ele e pelas dificuldades que ele enfrenta. Você entende o contexto do personagem e como ele lida com cada situação, o que facilita que você leve esses ensinamentos para sua própria vida.

O site Reading Well levou a biblioterapia no Reino Unido a um novo patamar. Com um modelo de prescrição, o site recomenda livros indicados para suas necessidades pessoais. Os livros têm a capacidade de transportar o leitor para outros lugares — outra cidade, outro país ou mesmo outra galáxia —, criando uma distância dos problemas cotidianos da vida real. Além disso, podem trazer bom humor e boas gargalhadas ou ainda sabedoria, se você procura novos conhecimentos.

Quer conhecer mais benefícios da releitura? Um estudo publicado na Biblioteca Nacional de Medicina do Reino Unido concluiu que os leitores ávidos têm maior expectativa de vida. Em comparação com pessoas que não leem, os leitores habituais têm 20% menos risco de morrer durante 12 anos. Se essa não é uma razão para escolher um livro hoje mesmo, não sei qual mais seria. Faça como recomendam os leitores: "Um capítulo por dia...".

Por fim, são diversas as evidências que embasam a ideia de que romances fazem bem à saúde mental. Por isso, dê uma boa olhada na sua prateleira de livros, prepare uma xícara de chá, sente-se confortavelmente no sofá e divirta-se.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos