Relacionamentos turbo: como a quarentena está acelerando os namoros

A pandemia de coronavírus causou um “boom” nos relacionamentos a jato. (Getty Images)

Se você pensava em deixar as coisas rolarem bem devagar na sua vida amorosa, pode esquecer. A pandemia de coronavírus fez com que muitos casais que estavam no início da vida a dois colocassem o pé no acelerador, levando aos chamados “relacionamentos turbo”.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A quarentena parece ter acelerado a vida amorosa de todos, já que muitos foram do primeiro encontro ao “para sempre” em poucos meses de convivência, afirma uma pesquisa realizada pelo Relate em parceria com o eharmony.

Leia também

Algumas pessoas acostumadas a dividir apenas garrafas de vinho passaram a dividir uma casa, poucas semanas depois de se conhecerem.

Na antiga “vida normal”, assumir um compromisso cedo demais seria assustador, mas a nova pesquisa revelou que muitos dos que estão nos relacionamentos turbo estão felizes.

Entre os entrevistados que enfrentam a quarentena juntos, 63% relataram que o relacionamento parece mais forte, e 58% afirmaram saber que querem ficar com seus parceiros para sempre.

A velocidade com que as coisas aconteceram fez com que mais de um terço daqueles que estão morando com seus parceiros sentissem que os últimos dois meses pareceram “dois anos de relacionamento”.

Os relacionamentos amorosos estão mais acelerados em meio à quarentena. (Getty Images)

Mais de um terço dos entrevistados afirmaram ter atingido marcos de relacionamento com mais rapidez – levando a mais sexo, melhor comunicação e oportunidade de descobrir novas paixões compartilhadas.

“Não tenha dúvida, estamos vivendo um momento histórico, e a pandemia com a quarentena resultante, impactou profundamente a forma como nós vivemos e amamos,” disse Rachael Lloyd, especialista em relacionamentos do Eharmony.

“Realmente interessante é a criação dos chamados ‘relacionamentos turbo’, onde casais que nunca haviam feito as coisas com tanta rapidez acabaram morando juntos poucas semanas depois de se conhecerem – e estão felizes com isso”.

O que está levando à formação de tantos relacionamentos?

Segundo Peter Saddington, consultor do Relate, em períodos mais longos de agitação social, os casais costumam se unir.

“A combinação de mais tempo gasto juntos, com níveis mais altos de ansiedade e a eliminação de rotinas comuns – como sair com os amigos – cria uma intensa mistura,” disse ele.

Mas estar em um relacionamento turbo nem sempre é um mar de rosas. “Nas nossas sessões virtuais de aconselhamento, ouvimos como a crescente pressão em torno das finanças e o estresse de equilibrar o trabalho e o ensino à distância dos filhos, estão afetando alguns relacionamentos,” continuou Saddington.

“As discussões motivadas pelas regras da quarentena são comuns, independentemente de quanto tempo de relação o casal já tem,” acrescentou.

Muitos casais decidiram morar juntos com mais rapidez do que decidiriam em uma situação normal. (Getty Images)

É claro que sempre há o risco de que a bolha do relacionamento que muitos estão apreciando estoure quando a quarentena terminar.

“Embora muitas das consequências desses relacionamentos a jato sejam animadoras, as pessoas precisam lembrar que nós estamos vivendo uma circunstância ímpar,” explica Saddington.

“Se a sua relação não mantiver o mesmo ritmo ou se os sentimentos diminuírem após a quarentena, isso não significa o fim”.

Mas se você estiver com dificuldade para fazer as mudanças necessárias no relacionamento para adaptá-lo a um dia a dia mais normal, é importante falar sobre o assunto.

“A comunicação é fundamental para permitir que os casais entendam o que funciona melhor para cada um quando a vida voltar ao normal,” aconselha Saddington.

E, claro, alguns daqueles que mergulharam de cabeça em um relacionamento na quarentena já podem estar descobrindo que as coisas não são tão perfeitas quanto pareciam.

Eles podem estar brigando por motivos que nunca haviam surgido antes, descobrindo que têm objetivos de vida diferentes ou identificando um abismo enorme entre os interesses de cada um.

Ainda assim, esse não precisa ser o fim, mas pode ser interessante desacelerar as coisas por um tempo.

Entrar em um relacionamento a jato pode ter levado o casal a perder a parte apaixonante, típica do namoro, então vale a pena dar um passo atrás e reviver aquela paixão inicial em um ritmo mais lento.

Marie Claire Dorking