Reino Unido vive luto por morte de capitão Tom Moore

Ben Makori
·1 minuto de leitura
Mulher coloca flores perto da casa do capitão britânico Sir Tom Moore perto de Milton Keynes, no Reino Unido

Por Ben Makori

MARSTON MORETAINE, Inglaterra (Reuters) - Com flores e luzes, o Reino Unido homenageou nesta quarta-feira o capitão Tom Moore, de 100 anos, que tocou os corações de milhões oferecendo uma mensagem simples de esperança e abnegação durante o lockdown da Covid-19.

Moore, que arrecadou dezenas de milhões de libras esterlinas para o Serviço Nacional de Saúde andando pelo próprio jardim, morreu na terça-feira no Hospital Bedford depois de enfrentar a Covid-19 e uma pneumonia. Ele também combatia o câncer há 5 anos.

Diante de sua casa, em Marston Moretaine, 80 quilômetros ao norte de Londres, crianças depositaram flores. Uma mensagem dizia: "Descanse em paz, capitão Tom. Amamos você. X."

"Você sempre será nosso herói", dizia outra. "Obrigado por sua ternura e seu sorriso maravilhoso. Descanse em paz."

Sua foto foi mostrada em Piccadilly Circus, no centro de Londres, e a roda-gigante London Eye, o Estádio Wembley e a Torre Blackpool acenderam luzes em sua homenagem.

As condolência vieram da rainha Elizabeth 2ª, do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e até da Casa Branca. Jogadores de futebol, estudantes e sua família verteram lágrimas por um homem que milhões consideram um herói do lockdown.

Em meio às mortes e a desolação da pandemia de Covid-19, a sagacidade e a inspiração do veterano da Segunda Guerra Mundial tocou milhões: sua mensagem ao mundo foi que "o sol voltará a brilhar".