Regina Duarte sobe o tom, ataca artistas e repete frase de 2002

*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  04-03-2020, 12h00: Cerimônia de Posse da nova secretária nacional de Cultura Regina Duarte. O presidente Jair Bolsonaro, ao lado da primeira Dama Michelle Bolsonaro, do vice-presidente Hamilton Mourão, dos ministros General Braga Netto (Casa Civil) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), durante a cerimônia de posse da atriz Regina Duarte no cargo de Secretária Nacional de Cultura, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 04-03-2020, 12h00: Cerimônia de Posse da nova secretária nacional de Cultura Regina Duarte. O presidente Jair Bolsonaro, ao lado da primeira Dama Michelle Bolsonaro, do vice-presidente Hamilton Mourão, dos ministros General Braga Netto (Casa Civil) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), durante a cerimônia de posse da atriz Regina Duarte no cargo de Secretária Nacional de Cultura, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Regina Duarte subiu o tom e, se vez ou outra ainda posta imagens e mensagens meigas e cheias de candura em suas redes, nos últimos dias a ex-secretária da Cultura de Jair Bolsonaro (PL) decidiu partir para o ataque.

Seu alvo principal são os colegas de profissão, os mesmos que a ignoraram numa recente apresentação teatral em São Paulo. Regina, ao que tudo indica, acusou o golpe.

"Bate mesmo!", incita ela, marcando os perfis de Guilherme Fiúza e de Carla Zambelli (PL-SP). Regina fez o comentário ao compartilhar uma postagem da deputada na qual ela e o jornalista criticam os "artistas pró-cartinha", numa menção à carta em defesa da democracia.

Caetano Veloso, Maria Bethânia, Fernanda Montenegro, Arnaldo Antunes, Chico Buarque, Anitta, Camila Pitanga, Antônio Fagundes, Gal Costa: a lista é grande e das mais variadas, mas por terem assinado e lido trechos da "cartinha", todos eles entram no rol de novos desafetos de Regina e são desancados por ela já no início de seu post. "Que vergonha que eu tenho dessa 'leva!', escreveu.

A atriz, no entanto, evita puxar para si a responsabilidade pelos ataques e opta por repostar o conteúdo dos aliados de Bolsonaro. "Batam mesmo, patriotas, que o meu pluralismo abestado me impede de bater na categoria por mais indignada que eu esteja!", postou.

Regina rompeu seu contrato de mais de quatro décadas com a Globo para assumir a Secretaria da Cultura por dois meses e meio, entre março e maio de 2020, após semanas de fritura. Mesmo afastada e com a promessa (não cumprida) de assumir outro cargo no governo, ela se mantém fiel ao presidente e alinhada ao discurso bolsonarista. Numa de suas recentes postagens, elogiou o ministro da Economia, Paulo Guedes: "PG é o cara!".