Regina Duarte pede mais tempo sobre convite à cultura e quer conversa pessoal com Bolsonaro

Reprodução

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Conhecida por posições de direita, atriz vem sendo cortejada desde o anúncio da saída de Alvim.

  • A atriz teria conversado com integrantes da equipe de Bolsonaro e solicitado uma conversa pessoal, com ele, nesta segunda-feira (20).

Convidada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a assumir a Secretaria Especial da Cultura, a atriz Regina Duarte pediu mais tempo para responder o convite, embora tivesse prometido uma resposta até este sábado (18).

A informação foi publicada pela coluna da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, segundo a qual, a partir de interlocutores, a atriz teria conversado com integrantes da equipe de Bolsonaro e solicitado uma conversa pessoal, com ele, nesta segunda-feira (20).

Leia também

A atriz passa o final de semana com a família e está dividida sobre aceitar ou não o cargo.

Nessa sexta (17), Regina foi convidada pelo governo a assumir a Secretaria. Embora já tivesse sido chamada para o posto, por Bolsonaro, em outra oportunidade, a atriz recusara. Agora, segundo a coluna da Folha, o assédio a ela teria aumentado.

Conhecida por suas posições mais à direita no espectro político, a atriz vinha sendo cortejada por membros do entorno de Bolsonaro desde o anúncio da saída de Roberto Alvim. Ele foi exonerado em meio à má repercussão de um vídeo, para divulgação de um programa da pasta, mas de inspiração nazista.

O nome da atriz teria ainda sido levado por um parlamentar próximo ao presidente ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Segundo a colunista Natuza Nery, do portal G1, uma ala do governo acredita na ida da atriz para a Esplanada e vê o movimento como uma oportunidade para reduzir a crise com o setor cultural. Outro grupo próximo ao presidente, no entanto, torce para que Regina Duarte recuse o convite, o que abriria espaço para alguém de perfil “mais ideológico”, semelhante ao de Alvim.

Neste sábado, a atriz postou duas vezes, em sus redes sociais, mensagens de apologia ao governo Bolsonaro.