Regina Duarte vira alvo nas redes após críticas de Olavo de Carvalho

Tag contra Regina Duarte chegou ao topo do Twitter na manhã desta quarta. (Foto: Sergio Lima /AFP via Getty Images)

Com a cerimônia de posse marcada para às 11h da manhã desta quarta-feira (4), a futura secretária especial da Cultura, Regina Duarte, já virou alvo de críticas seguidores de Olavo de Carvalho, que levantaram a hashtag #ForaRegina entre os destaques do Twitter.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

O guru ideológico do presidente Jair Bolsonaro recorreu ao seu costumeiro imaginário escatológico para criticar as primeiras ações de Regina como secretária. A atriz exonerou seis secretários, dos quais cinco são ligados ao ideólogo bolsonarista.

Leia também

"Aplaudir a indicação da Regina Duarte parece ter sido uma cagada minha, mais uma entre tantas. Não sei onde vou arranjar tanto papel higiênico", escreveu Olavo no Facebook. O escritor também se manifestou no Twitter. “Se a Regina Duarte quer mesmo se livrar de indicados do Olavo de Carvalho, a pessoa principal que ela teria de botar para fora do ministério seria ela mesma", escreveu.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Após as críticas públicas de Olavo, as tags #ForaRegina e Regina Duarte apareceram entre os assuntos mais comentados nas redes. A argumentação de alguns é de que Regina estaria “a serviço da esquerda”, mais especificamente do PSOL, após as demissões de olavistas da pasta.

OLAVISMO PERDE ESPAÇO

Entre os exonerados está o maestro Dante Mantovani, que estava na presidência da Funarte. Nomeado em dezembro do ano passado, Mantovani chamou atenção por teorias da conspiração que compartilhava em seu canal no YouTube. Em um vídeo, ele falou sobre sua crença de que o rock leva ao satanismo.

Entre os outros demitidos estão alguns indicados de Roberto Alvim, que compunham a ala olavista da pasta. São eles Camilo Calandrelli, da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura; Reynaldo Pereira, da Secretaria da Economia Criativa; Marcos Azevedo, Secretário de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual; e Rodrigo Junqueira, Secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural.

Também foi demitido o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Paulo Cesar Brasil, que estava desde janeiro a frente do órgão. Os substitutos ainda não foram anunciados. A atriz tomará posse na Secretaria Especial da Cultura nesta quarta às 11h.

Funcionários que estavam em cargos de confiança da secretaria também foram exonerados. Alguns afirmaram que foram demitidos por serem "bolsonaristas", indicando o descontentamento de correntes da direita com a nomeação de Regina para o comando da Cultura.

com informações Agência O Globo