Regina Duarte critica Lei Rouanet e diz que regulamentação é 'deturpada pela esquerda milionária'

***arquivo***SAO PAULO, SP, BRASIL 20.09.2021 Regina Duarte (atriz).(Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***arquivo***SAO PAULO, SP, BRASIL 20.09.2021 Regina Duarte (atriz).(Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Dois dias depois da polêmica envolvendo Claudia Raia, que conseguiu autorização para captar um pouco mais de R$ 5 milhões para um musical através da Lei de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet, Regina Duarte se manifestou contra a decisão. A atriz pediu uma regulamentação "menos elitista" e ainda insinuou que só "grandes nomes" conseguem verbas para produzirem "espetáculos com dinheiro público."

"Eu digo sim a uma Lei Rouanet reformada e muito menos elitista. Nada mais de grandes de empresas deixando de pagar impostos para usar essa grana em publicidade com 'grandes nomes'. São espetáculos produzidos com dinheiro público. Abaixo a elitista Lei Rouanet, toda deturpada pela esquerda milionária", reclamou a ex-secretária da Cultura do governo Bolsonaro.

Regina repostou a publicação de um perfil de extrema-direta no qual criticava o fato de que Claudia Raia havia recebido a verba por meio da Lei Rouanet para fazer um musical. Segundo consta no site do Ministério da Cultura, o projeto foi só aprovado mas ainda não teve a captação de recursos iniciada.

Em julho de 2022, a empresa "A Vida é Sonho Produções Artísticas Ltda.", que tem a atriz como sócia-administrativa, foi condenada a devolver R$ 319,6 mil obtidos por meio do Programa Nacional de Incentivo à Cultura (Pronac), instituído pela Lei Rouanet. As contas do projeto "Coração Bazar", promovido pela empresa, e que deveria realizar a "montagem e apresentações do espetáculo teatral 'Ana Jansen', de autoria de Lenita de Sá, com adaptação de Lauro César Muniz", foram reprovadas em 2018.