Reforço certo do Athletico, Vizeu agora só quer saber de brilhar na Rússia

Felipe Vizeu em sua apresentação pelo Akhmat Grozny (Divulgação)

Por Fábio Paine, de Moscou

Após defender o Grêmio no ano passado, Felipe Vizeu era dado como reforço certo no Athletico e chegou a ser anunciado oficialmente pela equipe paranaense para toda a temporada de 2020; porém, o jogador de 22 anos jamais deu as caras em Curitiba.

E numa mudança de rumo surpreendente, acabou no Akhmat Grozny, da Rússia.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Seu empréstimo junto à Udinese foi dado de maneira sigilosa. Sua apresentação, no último dia 16, ocorreu apenas alguns dias depois de vazarem na internet imagens sua treinado com a equipe na Turquia. Entre a não ida ao Paraná e a assinatura de contrato com a nova equipe, o silêncio foi absoluto. De seus empresários a membros da comissão técnica, dirigentes e assessor do clube russo.

“Aconteceu muito rápido. Eu fui pra Itália pra poder resolver toda a minha situação, poder fazer exames no meu joelho (esquerdo) no qual operei no Grêmio no ano passado (em julho). E assim quando resolvi tudo, voltei ao Brasil, e assim que cheguei a Udinese me ligou falando dessa possibilidade. E assim achei muito interessante porque sou fã do futebol russo. É uma liga em que eu tinha muita vontade de poder jogar, e graças a Deus terei essa oportunidade agora”, afirmou Vizeu com exclusividade ao Yahoo Esportes.

Leia também:

Em entrevista por telefone, o jogador preferiu não comentar o porquê de não se apresentar ao Athletico e tampouco quis dar algum tipo de explicação aos torcedores da equipe paranaense. Seus agentes também não responderam às mensagens da reportagem.

Vizeu, de 22 anos, quer agora apenas se focar em seu trabalho no Akhmat. Ele está participando normalmente da intertemporada da equipe na Turquia e participou de dois amistosos agora. Por causa do inverno, o Campeonato Russo parou em dezembro e só retorna na última semana de fevereiro.

O clube de Grozny ocupa a 12ª colocação entre 16 participantes. Soma 19 pontos após 19 rodadas e no momento sua briga é contra o rebaixamento. No retorno do torneio, terá pela frente o terceiro colocado Rostov.

“Primeiramente, quero poder fazer gols e ajudar a colocar a equipe lá em cima na tabela. Esses são os meus principais intuitos no momento. Mas tenho uma grande vontade de brilhar aqui e continuar na Rússia por muitos e muitos anos”, disse Vizeu, que assinou contrato com o Akhmat até o fim de 2020.

No clube russo, tem a companhia do meia Ismael e do meia-atacante Ravanelli. Outro brasileiro é o ex-zagueiro Rodolfo, que trabalha na comissão técnica.

“Ajuda muito (ter o Rodolfo na comissão), principalmente pra poder passar pra mim o que o professor quer, o que tenho que melhorar, o que está bom. Apesar que eu consigo comunicar diretamente com o treinador em italiano. Mas tê-lo na comissão é importantíssimo. Isso não significa que será fácil as coisas. E sim que tenho que trabalhar mais e mais e dar o meu melhor a cada dia pra poder ser quem eu sou”, afirmou o atacante que usará a camisa 27.

“Minha relação com o Ravanelli e Ismael é fera, relação de amigos, irmãos. O Ravanelli conheço mais por ter jogado pela seleção (olímpica) com ele, então tenho uma intimidade muito maior. Mas o Ismael é sinistro, uma grande pessoa e craque”, rasgou-se em elogios Vizeu.

Vizeu ainda não teve a oportunidade que gostaria na Europa. Pela Udinese, que o contratou do Flamengo em 2018, fez apenas cinco partidas, não totalizando nem 30 minutos. Agora, se diz motivado para ir bem no continente e, quem sabe, um dia defender a seleção brasileira principal.

“Tenho sim isso como objetivo. Tenho histórico pela seleção , essas coisas não podem ser esquecidas. Eu amo o meu país, e quero poder defendê-lo muito ainda pela seleção. Podendo dar títulos assim como o maior de todos que é a Copa do Mundo”, disse.

“Estando na Europa, brilhando , fazendo gols aqui isso irá ajudar ainda mais. Sabendo que tem muitos jogadores bons também. Mas tenho isso como meta”, completou.

Vizeu avaliou também a sua curta passagem pelo Grêmio. Apesar de ter ficado na equipe durante todo o ano de 2019 disputou apenas 13 partidas e fez um gol.  A lesão e a consequente cirurgia no joelho o prejudicaram bastante.

“Foi um ano bom porém difícil, fiz bons jogos, mesmo não jogando muitos como titular , tenho uma média por minutos de gols muito boa, não só no Grêmio, como na minha carreira até aqui. Isso, ficando parado quase o segundo semestre todo por conta da lesão que tive no joelho.  Mas o que importa que hoje estou recuperado do joelho e feliz em poder estar na Europa novamente”, avaliou

“O Renato é um grande treinador, tem muita estrela. Não é atoa que ganhou e ganha títulos sempre. Foi assim desde quando jogava. Não poderia ser diferente como treinador. Queria poder ter ajudado mais, porém a lesão foi o que não deixou que isso pudesse acontecer. Mas faz parte da profissão”, completou.

Cria do Flamengo, Vizeu diz que segue e torce pelo Rubro-Negro.

“É o clube que me revelou, o clube que está no meu coração, um clube que tenho o maior carinho. Saber que nasci lá e fiz história com tão pouca idade em um clube como o Flamengo é muito gratificante, não é pra qualquer um. Jogar lá é pra poucos, é difícil. E graças a Deus eu consegui e sempre dei o meu melhor e tendo sempre o apoio da nação”, disse.

O jogador também elogiou o técnico Jorge Jesus e afirmou que ele merece todo o reconhecimento. Ele também não vê o português como um profissional supervalorizado.

“É um grande técnico. É nítido que faz um grande trabalho. Vemos o Flamengo jogar e a gente sabe a proposta que tem de jogo. Isso é nítido que é do Jorge Jesus, que é treinado. Não é atoa que está sendo reconhecido e recompensado com grandes títulos no qual o Flamengo queria e estava buscando a tanto tempo novamente. Ele merece todo esse reconhecimento”, finalizou.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter