"Raya e o Último Dragão" lidera fraca bilheteria com US$8,6 milhões

Brent Lang
·1 minuto de leitura

Por Brent Lang

LOS ANGELES (Reuters) - Os cinemas de Nova York receberam clientes pela primeira vez em quase um ano neste fim de semana. E, mesmo assim, alguns lançamentos importantes ainda tiveram dificuldades para vender ingressos, um sinal de que a ressurreição das bilheterias talvez não esteja em jogo pelos próximos meses.

"Raya e o Último Dragão", uma animação de aventura e fantasia da Disney, estreou com 8,6 milhões de dólares em 2.045 telas. Não conseguiu igualar a impressionante (para a pandemia) estreia de "Tom & Jerry”, que levou 14,1 milhões de dólares no último fim de semana, um pequeno sinal de esperança para o setor que vem sofrendo há muito tempo.

"Raya e o Último Dragão" também esteve disponível para assinantes da Disney Plus, por 30 dólares, método que a empresa havia utilizado também com "Mulan".

Embora apenas uma fração do que um filme para a família e com alto orçamento faria nos tempos pré-Covid, "Raya" faturou o bastante para ficar em primeiro lugar na bilheteria doméstica.

Globalmente, "Raya" arrecadou 26 milhões de dólares, com China e Rússia dando as principais contribuições, com 8,4 milhões de dólares e 2,8 milhões de dólares respectivamente.

Em seu segundo fim de semana, "Tom & Jerry", da Warner Bros, arrecadou 6,6 milhões de dólares na bilheteria doméstica, chegando a 23 milhões de dólares. O filme também está disponível no HBO Max.

A Warner Bros. está colocando todo o seu cartel de 2021 no serviço simultaneamente aos cinemas, uma medida que demonstra a importância crescente das empresas de streaming. "Tom & Jerry" arrecadou 11,6 milhões de dólares globalmente, em 36 mercados, chegando a uma bilheteria mundial de 57,3 milhões de dólares.