'Raw', filme que fez parte do público vomitar nos cinemas, chega ao catálogo da Netflix

(Imagem: divulgação Focus)

‘Raw’ ficou famoso entre os interessados em filmes de terror pelas notícias de que parte do público chegou a vomitar ao assisti-lo nos cinemas, fazendo com que uma sala de exibição em Los Angeles distribuísse sacos de vômito antes de suas sessões começarem. É injusto reduzir a apenas esta reputação o longa francês que chegou esta semana ao catálogo da Netflix brasileira.

Para começo de conversa, vale avisar que ‘Raw’ é menos terror e mais drama psicológico repleto de imagens fortes e perturbadoras. Nada disso, porém, está lá por acaso. A diretora estreante – e também roteirista – Julia Ducournau criou uma representação metafórica do que é entrar na faculdade, viver num ambiente hostil, lidar com o despertar sexual na adolescência, a pressão familiar, e ter que sobreviver instintivamente a todo este contexto.

A protagonista é Justine (Garance Marillier), garota tímida que tem seus primeiros dias numa tradicional universidade, onde vai cursar veterinária. Durante a semana de trotes, ela é obrigada, entre outras coisas, a comer o rim de um coelho, mesmo sendo vegetariana. A sensação de enjoo da personagem é mostrada de forma visceral, e, sim, pode até incomodar estômagos mais sensíveis. Mas quem estiver disposto a enxergar além, tem a chance de se surpreender.

Enquanto Justine começa a sentir coceiras estranhas pelo corpo e desenvolve um peculiar apetite por carne humana crua, o filme entra mais no território do bizarro, como um pesadelo lindamente filmado. Numa das cenas, ela vive um delírio febril em sua cama, enrolada no lençol enquanto sente o desejo pelo colega de apartamento gay tomar conta de seu corpo. É uma sequência potente e ao mesmo tempo sutil, já que fala de sexo sem cair na vulgaridade e ao mesmo tempo sugere imensa intensidade.

‘Raw’ ainda tem pelo menos meia dúzia de cenas marcantes, como os acidentes de carro provocados pelas predadoras humanas e o plano-sequência da primeira festa da faculdade, no qual o espectador se sente completamente inserido naquele ambiente. Deixe de lado a expectativa por sustos e prove. É bem possível que você goste da experiência.