Rappers Drake e 21 Savage são processados por usar o nome "Vogue" para promover álbum

Imagem de Arquivo: O rapper Drake em evento em Nova York. 18 de setembro, 2022. REUTERS/Eduardo Munoz/Arquivo

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - Os músicos Drake e 21 Savage foram processados pela Condé Nast, editora da revista Vogue, por usar o nome Vogue sem permissão para promover seu novo álbum "Her Loss".

A Condé Nast disse que a campanha promocional dos rappers, inclusive para seus mais de 135 milhões de seguidores nas redes sociais, foi construída "inteiramente" no uso não autorizado das marcas registradas da Vogue e nas falsas representações de que apareceriam na próxima capa da Vogue, com o "amor e apoio" da editora-chefe de longa data Anna Wintour.

"Tudo isso é falso. E nada disso foi autorizado pela Condé Nast", de acordo com a queixa apresentada na noite de segunda-feira no tribunal federal de Manhattan.

A editora disse que os réus também criaram uma edição falsificada da Vogue que foi distribuída nas principais áreas metropolitanas, acompanhada de cartazes cujo layout imitava o da própria revista.

A Condé Nast afirmou que o resultado foi uma confusão "evidente" entre o público, incluindo a mídia que divulgou Drake e 21 Savage como as "novas estrelas da capa" da Vogue.

Larry Stein, advogado dos réus, recusou-se a comentar imediatamente na terça-feira, ainda sem analisar a queixa.

A Condé Nast, também conhecida como Advance Magazine Publishers Inc, está buscando pelo menos 4 milhões de dólares em indenizações, ou o triplo dos lucros dos réus do álbum e revista "falsificada".

A empresa também quer indenizações punitivas e o fim de qualquer violação de marca registrada.

"Her Loss" recebeu críticas mistas desde seu lançamento em 4 de novembro.

A Condé Nast disse que tentou repetidamente desde 31 de outubro resolver suas diferenças com Drake, natural de Toronto, e 21 Savage, de Atlanta.

"O desrespeito irreverente dos réus pelos direitos da Condé Nast não deixou escolha a não ser iniciar esta ação", afirmou.

(Reportagem de Jonathan Stempel em Nova York)