Rainha Elizabeth entra em debate sobre trajes de enterro do príncipe Philip

Ben Makori
·1 minuto de leitura
Luto pelo príncipe Philip

WINDSOR, Inglaterra (Reuters) - A rainha Elizabeth teve que interferir para resolver o que os membros graduados da realeza deveriam vestir no enterro de seu marido, já que se questionou se o príncipe Harry e o príncipe Andrew deveriam usar uniformes militares, noticiou a mídia nesta quinta-feira. 

O príncipe Philip morreu na semana passada aos 99 anos, e seu enterro acontecerá no Castelo de Windsor no sábado. Em tais ocasiões formais, é tradicional membros da realeza envergarem uniformes militares, muitas vezes refletindo títulos honorários que detêm. 

Leia também

Mas, de acordo com jornais britânicos, há debates nos bastidores sobre o que Andrew e Harry, filho e neto da rainha, deveriam vestir. 

Harry, duque de Sussex de 36 anos, abdicou de todas as suas funções reais e perdeu todos seus patronatos militares em janeiro ao se mudar com a esposa, Meghan, e o filho, Archie, para a cidade norte-americana de Los Angeles, mas quer vestir o uniforme militar de cerimonial que usou no dia de seu casamento. 

Andrew, duque de York de 61 anos, distanciou-se dos compromissos oficiais por causa de sua associação "insensata" com Jeffrey Epstein, financista norte-americano, que caiu em desgraça e já faleceu. 

Jornais noticiaram que ele gostaria de ir ao enterro com o uniforme de almirante, uma patente honorária que lhe foi concedida em seu 60º aniversário, mas que ele abdicou até sua volta à vida pública. 

Complica o assunto o fato de que ambos são os únicos membros da realeza que estiveram em combate —Harry no Afeganistão e Andrew na Guerra das Malvinas de 1982. 

O Palácio de Buckingham não fez comentários sobre a notícia, mas, segundo o Daily Mail, a rainha decidiu que todos devem vestir trajes de luto para evitar qualquer constrangimento.