Rainha Elizabeth enfatiza reconciliação em mensagem de Natal

LONDRES (Reuters) - A rainha Elizabeth enfatizará o valor da harmonia e da reconciliação em sua mensagem de Natal este ano, disse o Palácio de Buckingham nesta terça-feira, depois de um ano em que o tortuoso processo do Brexit agravou profundas divisões no Reino Unido.

O palácio divulgou dois pequenos trechos da mensagem televisiva do dia do Natal da monarca de 93 anos, um sobre o 75º aniversário dos desembarques do Dia D da Segunda Guerra Mundial e outro sobre a vida de Jesus e a importância da reconciliação.

Não havia indicação de se a rainha mencionaria aspectos mais dolorosos de 2019 para a família real, particularmente o furor por causa dos vínculos de seu filho o príncipe Andrew com o financista norte-americano Jeffrey Epstein.

Andrew disse que lamentava sua associação "mal julgada" com Epstein, mas que nunca viu nada suspeito durante o tempo que passou com o financista que cometeu suicídio na prisão em agosto, depois de ser preso e acusado de traficar dezenas de meninas menores de 14 anos. Epstein negou as acusações.

Andrew também negou as alegações de uma mulher que disse ter sido traficada por Epstein e forçada a fazer sexo com seus amigos, incluindo o príncipe, aos 17 anos.

Juntamente com o marido de 98 anos, o duque de Edimburgo, envolvido em um acidente de carro em janeiro e tendo que passar os preparativos do Natal no hospital para observação, foi o que muitos comentaristas chamaram de "annus horribilis" para ela.

Foi assim que ela descreveu 1992, quando três dos casamentos de seus filhos - incluindo o do príncipe Charles e a princesa Diana - entraram em colapso e um incêndio danificou gravemente sua casa no Castelo de Windsor.

Nos trechos sobre o Dia D, a rainha disse: "pelo 75º aniversário daquela batalha decisiva, em um verdadeiro espírito de reconciliação, aqueles que antes eram inimigos jurados se reuniram em comemorações amistosas de ambos os lados do Canal, colocando diferenças passadas atrás deles..."

"Ao estar disposto a deixar as diferenças do passado para trás e avançar juntos, honramos a liberdade e a democracia que uma vez conquistaram para nós a um custo tão alto."

Sobre a reconciliação, ela fala de "como pequenos passos dados na fé e na esperança podem superar diferenças antigas e divisões profundas para trazer harmonia e entendimento..."

"O caminho, é claro, nem sempre é tranquilo e, às vezes, este ano parece bastante acidentado, mas pequenos passos podem fazer um mundo de diferença", acrescenta.

As divisões regionais e políticas do Reino Unido foram exacerbadas nos três anos e meio desde que a população votou pela saída da União Europeia.

Uma vitória esmagadora nas eleições do primeiro-ministro conservador Boris Johnson este mês permitiu-lhe finalmente obter aprovação para seu acordo Brexit no parlamento, mas também reativou os pedidos ao norte da fronteira para outro referendo sobre a independência escocesa.

Os jornais debruçaram-se sobre detalhes dos trechos da mensagem da rainha e o Times notou que uma coleção de fotografias de família em sua mesa parecia focar a atenção na linha direta de sucessão.

Ao lado de uma fotografia emoldurada de seu filho Charles com sua esposa Camilla, outra mostrou William com sua família, incluindo o príncipe George, de seis anos de idade. O pai da rainha, o falecido rei George VI, também aparecia.

Mas a coleção de fotografias não incluía Harry e sua esposa Meghan, ao contrário do ano passado, quando a rainha mostrou uma foto de seu casamento, disse o Times.

O Daily Mirror observou que também não havia foto de Andrew

A mensagem da rainha foi filmada no Castelo de Windsor, a oeste de Londres, e produzida pela BBC.

(Reportagem de Stephen Addison)