Rafa Brites lembra machismo no início da relação: "Fiquei arrasada"

Bárbara Saryne
·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução/Instagram/@rafabrites
Foto: Reprodução/Instagram/@rafabrites

Rafa Brites é casada com Felipe Andreoli desde 2011. A artista, que costuma escrever textos sobre empoderamento feminino, publicou neste domingo (25) um desabafo sobre o início do relacionamento com o jornalista esportivo. Segundo ela, as pessoas comparavam e faziam comentários pejorativos sobre a carreira dos dois, algo que a deixava constrangida e muito chateada.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

“No começo do meu relacionamento, Felipe era do ‘CQC’, mega bombando! Eu ainda começando, tinha acabado de fazer um teste para a MTV. Certo dia ouvi a seguinte frase: Você não acha ruim viver à sombra dele? Eu respondi: ‘Pessoas que brilham ao meu lado jamais me farão sombra, elas me iluminam ainda mais’. Mas por dentro... nossa, como doeu”, lembrou a artista.

Leia também:

No texto, Rafa disse que passou o último ano trabalhando muito e no seu último dia de férias lembrou desse momento em que estava com a autoestima abalada e instável profissionalmente. “Eu seria a mulher do cara do ‘CQC’. Nessa época fiz um teste na MTV e não deu certo (por outros motivos), fiquei arrasada... mas as diretoras de lá me chamaram logo para ter um programa meu ao vivo e diário na MIxtv. Outra vez fiz teste para o elenco de ‘A Liga’, lembram? Eu amava esse programa, era na Band (mesma emissora do CQC). Ouvi também pessoas falando: Se você passar vai parecer que foi por causa do Felipe”, contou.

Na época, Rafa não passou no teste e ouviu que Mel Fronckowiak, que assumiu a vaga, só foi chamada por ser namorada de Rodrigo Santoro. Muito triste com o machismo, a moça contou que teve uma crise de choro ao sair para comprar churros e descobrir que acabou bem na sua vez. “Que cena”, disse ela, que um mês depois foi chamada para trabalhar na Globo, onde seu marido gostaria de trabalhar e de fato está até hoje.

“Essa história não está no meu livro Síndrome da Impostora : porque nós mulheres nunca nos achamos boas o suficiente, mas lá tem muitas outras delas, desses momentos que nos sentimos farsas. Eu aprendi a lidar com essa sensação e resolvi escrever um livro para ajudar outras mulheres. E hoje nesse domingo (pior dia pra quem não está feliz na profissão), quis dividir essa história para lembrarmos que temos nosso próprio brilho, capacidade e autonomia para chegarmos onde quisermos! Não desista de você! Não aceite dizerem que você vive à sombra de ninguém!”, finalizou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.