Quer reduzir o tempo que seu filho fica no celular? Temos DUAS dicas que podem ajudar!

As novas gerações já estão nascendo conectadas e sabendo mexer em smartphones e tablets. Por isso, é difícil imaginar um cenário em que elas não estão acessando a internet, brincando em jogos digitais ou vendo vídeos nas redes sociais. Porém, existem motivos para se preocupar com essa superexposição.

Um estudo canadense, publicado no JAMA Pediatrics em 2019, por exemplo, mostrou que deixar uma criança pequena passar muito tempo usando celulares, tablets e outros eletrônicos pode atrasar o desenvolvimento de habilidades de linguagem e sociabilidade. A pesquisa acompanhou 2,5 mil crianças de dois anos de idade e, segundo especialistas, elas não devem ter contato com as telas até completar 18 meses de idade.

Saiba mais: Televisão, tablets e celulares aumentam o risco de obesidade e diabetes em crianças

Um outro estudo mais recente, publicado em junho de 2022, no JAMA Network Open, descobriu que o uso frequente de dispositivos eletrônicos para acalmar as crianças entediadas ou chateadas está associado a uma maior desregulação emocional, principalmente em meninos. Para a pesquisa, foram ouvidos 422 pais e 422 crianças de três a cinco anos.

...

Veja mais


Veja também

Estudo confirma: brincar no mar faz MUITO bem à saúde mental das crianças
Quando colocar seu filho no futebol? Conheça os benefícios excelentes do esporte para as crianças
Crianças podem fazer crossfit? Entenda se é seguro e os cuidados necessários
Fumar cotonete: quais são os riscos da nova moda das redes sociais
Antidepressivos na gravidez fazem mal para o bebê? Cientistas têm novas respostas