Quem é Leandro Lo, lutador multicampeão que foi baleado e morto em São Paulo

Lutador foi baleado na cabeça durante um show de pagode (Foto: Reprodução / Instagram)


O campeão mundial de jiu-jítsu Leandro Pereira do Nascimento Lo, de 33 anos, morreu ao ser atingido na cabeça por um tiro, em um evento dento do Clube Sírio, em São Paulo, neste domingo. A morte cerebral do atleta foi confirmada por seu advogado.

Leandro Lo era referência mundial no jiu-jítsu. O atleta multicampeão conquistou oito títulos mundiais da categoria.

Nascido em 11 de maio de 1989, na Zona Oeste da capital paulista, Leandro Lo iniciou sua trajetória nos tatames com 14 anos, no Projeto Social Lutando pelo Bem (PSLPB), do professor Cícero Costha.

Lo conquistou o 1º lugar do mundial de jiu-jítsu em cinco categorias diferentes. Além disso, o atleta que era referência mundial também conquistou cinco Copas do Mundo da modalidade e ainda ganhou oito Pan-americanos do esporte.

+ Leandro Lo, campeão mundial de jiu-jítsu, é morto com tiro na cabeça durante show em São Paulo

Sua última conquista, na categoria meio-pesado, foi neste ano de 2022. Já a primeira, em 2012, na categoria peso-leve.

- O primeiro (título) é a sensação de conseguir ser campeão mundial, esse foi eu ainda consigo ser campeão mundial, as duas melhores sensações da minha vida. Obrigado todos que estão sempre comigo na alegria na tristeza! - escreveu em uma postagem nas redes sociais dois meses atrás.

Trajetória: mudanças de categoria e campeonatos pelo mundo

Antes mesmo de receber a faixa preta, em 2010, Leandro Lo já participava de vários campeonatos de jiu-jítsu. Lutando na categoria peso leve, Lo conquistou o título de campeão brasileiro da Confederação Brasileira de Jiu-Jítsu (CBJJ) e Word Pro Abu Dhabi.

Já em 2012, ainda no peso leve, venceu o campeonato brasileiro, o PanAmericano. O atleta ainda conquistou seu primeiro título mundial de jiu-jítsu da Federação Internacional de Jiu-jitsu Brasileiro (cuja sigla em inglês é IBJJF), feito que se repetiu no ano seguinte.

No ano de 2014, resolveu migrar para a categoria de peso médio e seguiu conquistando campeonatos mundiais. Em 2015, Lo se desligou da equipe do professor Cícero Costha e fundou a 'NS Brotherhood' com amigos.

Em 2017, Leandro mudou novamente de categoria e foi lutar na categoria pesado.

Crime aconteceu durante show de pagode em São Paulo

O multicampeão iria disputar mais um campeonato, nesta sexta-feira, 12 de agosto, em Austin, nos EUA, mas foi baleado com um tiro na cabeça durante um show do grupo Pixote, no Clube Sírio, em Indianópolis, em São Paulo.

O crime aconteceu na madrugada deste domingo, quando o policial militar Henrique Otávio Oliveira Velozo se envolveu em uma discussão com o lutador e efetuou o disparo que atingiu o atleta. O PM foi reconhecido por foto pelos amigos do lutador que estavam no momento da agressão. O policial ainda está foragido.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo emitiu nota sobre o caso:

"Um lutador de jiu-jitsu, de 33 anos, foi baleado por um policial militar de folga, de 30, na madrugada deste domingo (7), em um clube na Avenida Indianópolis, bairro da Saúde, zona sul da Capital. Testemunhas informaram que houve uma discussão entre os dois e o policial realizou um disparo contra a vítima. O lutador foi socorrido ao Hospital Saboya, permanecendo internado em estado grave. O caso foi registrado como tentativa de homicídio pelo 16º DP (Vila Clementino), que apura os fatos por meio de inquérito policial. A autoridade policial representou pela prisão preventiva do autor junto à Justiça. A Polícia Militar lamenta o ocorrido. A instituição instaurou uma apuração administrativa e colabora com as buscas para localizar o autor."

Em nota de esclarecimento, o Esporte Clube Sírio, local onde ocorreu o episódio, lamentou o incidente:

"Nota de Esclarecimento

O ESPORTE CLUBE SIRIO se solidariza com a família do Sr. LEANDRO PEREIRA DO NASCIMENTO LO, pelo lamentável incidente ocorrido na madrugada do dia 7 de agosto de 2022, em um evento realizado por terceiros.

Informamos que estamos colaborando com as autoridades responsáveis pela investigação e esperamos que o incidente seja esclarecido o mais rápido possível".