Qual tipo de roupa mandar para a lavanderia?

Rita Cássia, Especial para o Yahoo!
Entre as peças mais lavadas fora de casa estão as sociais

Você sabe qual produto usar para tirar a mancha de tinta ou graxa de uma roupa? E se for um amarelado provocado por molho, vinho ou gordura? Para cada tipo de sujeira há um produto específico e a forma correta de lavar. Na dúvida, nada de recorrer aos conselhos da vovó, melhor deixar um especialista cuidar disso: mande para a lavanderia. 
 
Diante do tempo escasso dos casais, esta opção já virou rotina. Segundo o empresário Roberto Takada, que administra duas lavanderias na zona leste de São Paulo, entre as peças mais lavadas fora de casa estão as sociais. “Ternos e vestidos de festa são roupas mais delicadas e sempre precisam de um cuidado maior. Tanto homens quanto mulheres nos procuram para lavar essas roupas porque sabemos como tratar cada tecido”, afirma.

Leia também:
O que fazer com as roupas depois das festas?
Cuidados com a roupa íntima: lavar no chuveiro ou na máquina?
Entenda o que significam os símbolos das etiquetas de roupas
 
Além de ser uma demanda comum nas lavanderias, é extremamente indicado lavar este tipo de peça em um lugar especializado. “Se lavar em casa, usando produtos comuns, o risco de manchar é grande. Isso sem contar o perigo de rasgar ou danificar o tecido se for lavado na máquina. Por fim, ninguém sabe direito como passar e acaba utilizando o ferro na temperatura errada, o que pode gerar três problemas: deixar o tecido brilhando, queimá-lo ou, simplesmente, não desamassar”, alerta o empresário. 

Falta de espaço para secar em casa
Takada herdou o negócio do pai e explica que além dos clientes grandes – como hotéis, que mandam roupas de cama, mesa e banho, e empresas, que pagam para lavar uniformes de funcionários –, a procura pelo serviço no varejo sempre aumenta, principalmente quando se trata de peças mais volumosas, como as de inverno. “Há muita entrada de cobertores, edredons, casacos que ficam guardados durante o verão e as jaquetas de couro. São pesados, difíceis para manusear em casa”, reforça.
 
Os tapetes e as cortinas também fazem parte deste ranking. Na avaliação do empresário, a explicação é simples: “Não há mais lugar para secar roupa em casa, os apartamentos estão cada vez menores e a área de serviço é insuficiente. É muito mais prático e seguro mandar para a lavanderia, onde as pessoas têm a garantia de uma roupa bem cuidada e, consequentemente, com maior durabilidade”.
 
Praticidade no dia a dia
Quando parou para pensar em todos os benefícios de lavar as suas roupas fora de casa, o advogado Ed Carlos Gusmão, 33 anos, resolveu fazer um teste e gostou do resultado. “Como moro sozinho, é mais fácil deixar minhas camisas e ternos na lavanderia. Levo duas vezes ao mês. Após três dias, está tudo limpo, passado e pronto para usar. Sem dor de cabeça”.
 
O advogado gasta, em média, R$ 25 para lavar cada um dos ternos. O mesmo valor equivale à lavagem de um cobertor. O investimento para cada camisa é de R$ 7. Um custo baixo, na opinião do fiel cliente, frente à praticidade que o serviço oferece.  “Não conheço ninguém com paciência para olhar o processo de lavagem nas etiquetas, também não acho justo com quem lava as minhas roupas. As peças sociais, faço questão de lavar fora para não estragar. A aparência é outra, sem marcas de ferro. Fica mais alinhado, com certeza”.
 
Mas Gusmão só aprendeu a lição depois de perder algumas camisas, que ficaram com manchas amareladas debaixo do braço, e uma calça, queimada com o ferro. “Desde que saí da casa dos meus pais (aos 27 anos), penei para aprender a cuidar das coisas e, admito, ainda não sou bom dono de casa”, brinca. “Agora, procuro o que é mais prático. Já está dentro do orçamento e virou rotina”.