Quais os problemas de saúde de Anitta após nova internação? Veja histórico

Direto do hospital, ela comentou sobre seu estado de saúde. (Foto: Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic)
Direto do hospital, ela comentou sobre seu estado de saúde. (Foto: Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic)

A saúde de Anitta virou preocupação entre os fãs, principalmente nesta semana, após a cantora ser internada em um hospital de São Paulo pela segunda vez consecutiva em sete dias. Os admiradores usaram as redes sociais para levantar possibilidades após o cancelamento de seu show na Farofa da Gkay, em Fortaleza.

O comunicado de sua assessoria de imprensa, que falava sobre a internação, não dava detalhes sobre o motivo. Dessa forma, ela precisou fazer uma live para interromper os rumores e, direto do hospital, ela comentou sobre seu estado de saúde.

Anitta revelou que após um alerta de uma médica nos Estados Unidos, ela descobriu que tinha nódulos no pulmão e problemas no estômago e pâncreas. “Trabalhei nos dias que não ia trabalhar e foi irresponsabilidade da minha parte. Então, o que aconteceu é que comecei a me sentir mal, similar ao início, de quando cheguei no Himalaia”, contou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ela estava no local da cordilheira asiática para gravar um novo documentário, mas disse que não tinha fôlego para escalar ou fazer atividades mais intensas. “Nesses últimos três meses, teve um período de 50 dias que eu só trabalhei 2. Fiquei fazendo um tratamento bem intensivo para conseguir em novembro fazer os compromissos que queria”, revelou.

A artista ainda disse que na primeira internação que teve neste mês, no dia 1º, fez um exame e recebeu um negativo que lhe deu alegria. “Fiquei tão feliz em não ser o que achavam que era, que fiquei muito eufórica”, comemorou sem dizer qual foi o exame.

Epstein-Barr

Além de contar sobre a internação em São Paulo, Anitta revelou ser portadora do vírus Epstein-Barr. “Há dois meses, passei pelo momento mais difícil da minha vida. Ela (Ludmila) contou como foi diagnosticada com esclerose múltipla. No dia seguinte eu tive uma notícia terrível e grudei nela”, disse a cantora.

O anúncio foi feito durante o lançamento do documentário '“Eu”, de Ludmila Dayer', que ela produziu. “Se estou falando, caminhando, respirando, vivendo, é pelo quanto que ela me ajudou. Eu não acredito mais em coincidências. Pela Ludmila e tudo o que ela me apresentou, consegui parar o vírus no começo”, agradeceu.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O vírus causa a mononucleose infecciosa, que também é popularmente conhecida como "doença do beijo". Além da prática, ele pode ser transmitido de uma pessoa infectada com o compartilhamento de objetos como escova de dente, copos ou talheres.

A mononucleose é assintomática para muitas pessoas contaminadas, mas pode se manifestar com sintomas como os de uma gripe: febre-alta, dor ao engolir, tosse, dor nas articulações, irritação na pele, fadiga, amigdalite e outros.

Após a recuperação, que acontece em poucos dias e sem internação médica na maioria dos casos, uma nova ativação do vírus pode dar origem a outras doenças como alguns tipos de linfoma, como o de Hodgkin. Também é investigada sua ligação com o desenvolvimento de esclerose múltipla, que degenera o sistema nervoso central.

Endometriose

Antes das atuais internações, Anitta chegou a tratar um mal que lhe acometia há anos: endometriose. A doença a fazia sofrer com dores após relações sexuais e cólicas e nunca era diagnosticada por médicos que visitava. Foi a doutora Ludhmila Hajjar que ajudou a artista a tratar a condição.

“Tenho algo chamado endometriose (muito comum em milhões de mulheres no mundo, mas não tão falado quanto deveria ser). Estou indo bem sendo muito bem cuidada e manterei todos informados”, disse a cantora na época da internação, em julho, após a série de shows que fez na Europa.