Quadrinista brasileira acusa série '1899', da Netflix, de copiar sua ilustração

A quadrinista brasileira Mary Cagnin acusou, em uma publicação no Twitter feita neste domingo (20), a série '1899', da plataforma Netflix, de copiar um trabalho seu. Segundo a ilustradora, a série teria sido concebida a partir de seu quadrinho "Black Silence", desenhado em 2016. Procurada, a Netflix não respondeu ao questionamento da reportagem até o momento.

"ESTOU EM CHOQUE. O dia que descobri que a série 1899 é simplesmente IDÊNTICO ao meu quadrinho Black Silence", escreveu Cagnin. "Está tudo lá: A pirâmide negra. As mortes dentro do navio/nave. A tripulação multinacional. As coisas aparentemente estranhas e sem explicação. Os símbolos nos olhos e quando eles aparecem."

Cagnin já fez ilustrações para a editora Abril e Globo. “1889”, dos mesmos criadores de “Dark” -Baran bo Odar e Jantje Friese- conta a história, em oito episódios, de um navio de imigrantes europeus que partem rumo aos Estados Unidos, sonhando com melhores condições de vida.

Na rede social, Cagnin ofereceu uma hipótese para o modo como os produtores de "1899" conheceram o seu trabalho. Ela relatou que, em 2017, foi convidada para participar da Fera do Livro de Gotemburgo, na Suécia. Nesse evento, ela participou de seminários e distribuiu o quadrinho "Black Silence" para executivos do mercado editorial, inclusive com tradução em língua inglesa.

"Obviamente, 'Black Silence' é uma obra curta, quase um conto", escreveu a quadrinista. "É muito fácil, em 12h de projeção da série diluir todas essas 'referências', mas a essência do que eu criei está lá."