Quadrilha que atacou Cametá errou cofre e saiu de mãos vazias, segundo governador do Pará

·1 minuto de leitura

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), afirmou nessa quarta-feira (02) que a quadrilha que aterrorizou a cidade de Cametá (PA) ao assaltar uma agência do Banco do Brasil errou o cofre e saiu sem nada na ocorrência.

"A quadrilha não logrou êxito. Portanto, não houve qualquer prejuízo para o banco, eles não conseguiram levar qualquer dinheiro", afirmou o governador.

Leia também

Ao menos 10 criminosos participaram da ação na cidade, que fica a 235 km de Belém. A tentativa começou por volta da meia-noite desta quarta.

O grupo utilizou explosivos, forte armamento e sequestraram pessoas para realizar um “escudo” de reféns. Um desses sequestrados acabou morto. Outro morador da cidade ficou ferido após sofrer um tiro na perna e está internado no hospital da cidade.

As características são parecidas ao modus operandi da quadrilha que sitiou o centro de Criciúma, no Sul de Santa Catarina, nesta terça-feira (01), também em um assalto em uma agência do Banco do Brasil.

Barbalho disse que é preciso haver um trabalho no sentido de previnir um possível novo ataque em outro município do Estado.

"Temos que estar alertas porque uma quadrilha como esta, quando faz uma operação desta dimensão, isso custa muito dinheiro e nós temos que estar atentos e alertas na região. Todo o sistema de segurança está em alerta, para evitar que porventura eles tentem uma nova ação em outros municípios, em outras unidades bancárias", ponderou o governador.

Segundo o governo estadual, os criminosos deixaram explosivos na BR-422 para dificultar a ação policial. Em um município vizinho, agentes acharam um carro dentro do rio Itaperuçu. Há a hipótese de que os suspeitos fugiram pela mata. Até o momento ninguém foi preso.