Pupilo de Paola Carosella, Vitor diz que não esperava vencer MasterChef: A Revanche

LEONARDO VOLPATO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O paranaense Vitor Bourguignon, 28, é o campeão do MasterChef : A Revanche (Band), que terminou nesta terça-feira (17). Ele superou o paulista Estefano Zaquini, 24, ao apresentar um menu completo (entrada, prato principal e sobremesa) melhor. Com a vitória, ele leva para casa o troféu da temporada e R$ 250 mil.

Para ele, essa vitória, com diferença de apenas um ponto na avaliação dos chefs Paola Carosella, Erick Jacquin e Henrique Fogaça, representa um marco em sua carreira. Tanto que ele nem esperava. "Estefano é merecedor assim como eu, teve trajetória linda. Até o anúncio eu me colocava como vice e fiquei sem reação. Por conta do desenrolar da prova, ter que decidir na sobremesa que ele é especialista. Para mim foi muito honroso dividir esse momento com ele."

“Eu me sentia menos favorito nesta final por toda a trajetória de Estefano, que participou na primeira temporada e eu na quarta. São três anos a mais de carga, mas por sorte ou alguma interferência divina, desempenhei meu trabalho e ganhei”, complementa Bourguignon.

A partir de agora, o paranaense quer ter seu próprio buffet e trabalhar em eventos, como casamentos. O cozinheiro quer usar de sua fama e carisma conquistados na atração para propagar a gastronomia. Agora ele não descarta passar seus conhecimentos na internet, em um canal do YouTube, ou até na TV.

“Queria, sim. É uma vertente que eu tenho capacidade, pois ensinar, explicar, são coisas que já faço em Curitiba. Dou cursos de carnes e quero repassar conhecimento", diz Bourguignon, que foi estagiário durante três meses de Paola Carosella no restaurante Arturito.

Porém, para ele esse fato não o tornou forte no jogo, apenas lhe deu mais bagagem. “Quando trabalhei com ela, os meses que passei lá, foram de extrema valia para chegar com repertório maior. Ela me deu a luz."

Quando o estágio dele acabou, Paola ofereceu um emprego ao promissor cozinheiro, que recusou. “Recusei porque naquele momento eu tive outra possibilidade de abrir um próprio negócio em Curitiba [hamburgueria]. E como tinha aprendido tudo, eu entendi que poderia caminhar pelas minhas próprias pernas."

Até levantar o troféu de A Revanche, porém, a vida foi árdua para Bourguignon na atração. Na quarta temporada, ele cortou o dedo e quase não conseguiu cozinhar. Depois, ele foi eliminado e voltou na repescagem. Agora foi a terceira oportunidade no programa. E ele agarrou.

“Tive muitas idas e vindas. Quase fui eliminado por cortar o dedo, depois me dediquei a isso e aos estudos. E o resultado está aqui hoje”, finaliza o cozinheiro.