Public Enemy demite cofundador após divergência sobre apoio a Bernie Sanders

LUCAS BRÊDA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma das parcerias mais importantes do hip-hop acaba de ser desfeita em meio às primárias democratas, que acontecem nos Estados Unidos. O rapper Flavor Flav foi demitido do Public Enemy, graças a discordâncias sobre a participação do grupo em um comício de Bernie Sanders.

Flav, que é um dos fundadores do grupo, se desentendeu com o outro rapper e líder do Public Enemy, Chuck D, quando ele anunciou que se apresentaria --sob o nome Public Enemy Radio- no comício do pré-candidato democrata no último domingo (1º), em Los Angeles. No Twitter, Chuck D disse que Flav chegou até a processá-lo.

Em comunicado, o grupo diz que está "seguindo em frente sem Flavor Flav". "Nós agradecemos a ele pelos anos de serviços prestados e desejamos boa sorte", diz o texto, que em seguida convoca os fãs para o comício de Sanders.

O Public Enemy Radio foi criado por Chuck D para fazer shows beneficentes e gratuitos, e conta também com DJ Lord --no grupo desde 1999--, além de Jahi e The S1Ws.

A briga entre os MCs começou logo após o anúncio da apresentação no comício, quando Flavor Flav, por meio de seu advogado, enviou uma notificação extra-judicial para o pré-candidato socialista à presidência dos Estados Unidos.

"Ainda que Chuck certamente esteja livre para expressar suas opiniões políticas conforme ele achar adequado, a voz dele sozinha não fala pelo Public Enemy", diz o documento, obtido pelo site americano Pitchfork. "Para ser claro, Flavor Flav e, por extensão, o grupo de hip-hop presente no Hall da Fama e do qual seu nome e personalidade se tornaram sinônimos, não apoia nenhum candidato neste ciclo eleitoral e qualquer indicação do contrário é simplesmente mentira."

O texto pede que Sanders trate o apoio como vindo apenas de "Chuck D do Public Enemy", e não de todo o grupo. A carta ainda diz que Flav, após 30 anos no grupo, está "compelido a se pronunciar para garantir que os eleitores não sejam enganados" e que a música do Public Enemy "não se torne a trilha sonora de uma revolução fake".

No Twitter, Chuck D expressou suas opiniões sobre o agora ex-companheiro. "Não é sobre Bernie e Flav... Ele não saberia dizer a diferença entre [o jogador de futebol americano] Barry Sanders e Bernie Sanders... Então não ataco Flav naquilo que ele não sabe."

Chuck D ainda escreveu que "se houvesse uma mala de dinheiro, Flav com certeza estaria lá na linha de frente" e que ele "não faz shows beneficentes e de graça". "Flavor escolhe dançar conforme o dinheiro e não fazer um trabalho benevolente como este", acrescentou. "Então é melhor ele ficar em casa e procurar reabilitação."

Chuck D  também falou sobre o apoio a Bernie Sanders, o político socialista de 78 anos que vem se tornando o favorito para concorrer contra Donald Trump nas próximas eleições americanas.

"Gosto de alguns aspectos de Bern. Odeio a bobagem do partido. Mas consigo me relacionar com metade das questões e seguir em frente. Usem suas mentes e estejam prontos para combater qualquer um que estiver no cargo".

O Public Enemy foi formado no meio dos anos 1980, em Nova York, a partir da parceria entre Chuck D e Flavor Flav. Terminator X, que foi DJ do grupo em sua primeira década, saiu em 1998 e deu lugar ao DJ Lord. O grupo ficou conhecido pelo teor político e social das letras, tendo influenciado toda uma geração de rappers conscientes nos anos 1990 --incluindo os brasileiros do Racionais MCs.