Psicóloga lamenta o fim do "Casos de Família" e garante: "Não era combinado"

"Casos de Família", apresentado por Christina Rocha, deixa a grade de programação do SBT após 18 anos no ar (Foto: Lourival Ribeiro/SBT)
"Casos de Família", apresentado por Christina Rocha, deixa a grade de programação do SBT após 18 anos no ar (Foto: Lourival Ribeiro/SBT)

Nesta semana, o SBT surpreendeu a audiência ao revelar que havia cancelado o programa "Casos de Família". Exibida desde 2004, a atração ocupava as tardes do canal e já havia se tornado queridinha entre os internautas, que se divertiam com as brigas e os memes surgidos ao longo dos 18 anos em que ficou no ar. Em entrevista ao Terra, a psicóloga Anahy D'Amico, figurinha carimbada no programa, lamentou o seu fim e garantiu, mais uma vez, que o programa nunca foi combinado.

"É um programa muito dinâmico, muito curioso, que misturava coisa alegre com coisa triste, com coisa chocante. Acho que tinha um efeito muito catártico. As pessoas viam o que acontecia no programa e falavam: 'Não, a minha vida é muito boa perto disso que eu estou vendo'. As pessoas acabavam tendo acesso a realidades que elas nem sonhavam que existiam. Acho que o encanto do programa era esse", justificou a profissional ao lamentar o fim do programa.

D'Amico também lembrou o início no programa e como a sua vida mudou com a popularização do "Casos de Família": "Eu nunca tinha trabalhado em televisão. Demorei pra ir pela primeira vez, porque eles ligavam para o consultório em busca de psicólogos diferentes, porque, como eu disse, antes era um por programa. Então, demorei um pouquinho pra ir, mas eu não tinha muita noção das coisas. Eu ia lá, gravava o programa, vinha embora e tinha meu consultório, os meus trabalhos", contou.

"Conforme o tempo foi passando, fui vendo a popularidade que eu estava ganhando, que eu nem imaginava. Através das redes sociais, Instagram e canal do YouTube, quantas pessoas vinham falar que não perdiam o programa, que tinham muito carinho por mim, pela Christina; que adoravam, se divertiam, choravam e se viam naquela situações; acabavam se identificando com muitos problemas", acrescentou a psicóloga.

Um dos maiores mistérios do "Casos de Família" era se os temas e, consequentemente, as confusões armados no palco eram de verdade ou armados. Segundo D'Amico, essa é uma pergunta muito comum e que deixava a produção do programa bastante chateada, já que havia um esforço muito grande para preparar a atração diariamente:

"A gente pegou muitos casos combinados, mas não era combinado o programa. Eles se combinavam por farra, pelo cachê, pra poder ir pra televisão. Eu nunca participei da seleção. Sempre cheguei lá no dia pra gravar e às vezes eu não sabia nem o tema", afirmou.

Ela ainda disse que não conhecia os participantes antes dos episódios, mas costumava auxiliá-los nos bastidores, ao fim de cada edição.

"Sempre no final do programa eles vinham falar comigo, muitas vezes chorando, pedindo ajuda ou pedindo atendimento. Isso sempre aconteceu, mas antes [do programa] não tinha nem como, porque a gente ficava em lugares diferentes", declarou, ressaltando que tudo o que dizia aos participantes durante o programa era baseado no que acontecia no palco.

Por fim, a médica confessou que sentirá falta do programa e deve demorar para se acostumar à sua ausência.

"Ficou um vazio muito grande, porque há dezoito anos que eu fazia isso Fiz muitos amigos que vieram comigo no coração e vamos nos encontrar, mas aquela rotina era uma rotina gostosa. Sempre fiz esse programa com muito prazer", disse.

O fim do "Casos de Família"

Em um release enviado para a imprensa, o SBT anunciou a suspensão do programa "Casos de Família", um dos clássicos da emissora. O programa, no ar há 18 anos, permanece no ar apenas até o dia 7 de setembro, mas há a chance de retornar em 2023. Confira o comunicado na íntegra:

"A assessoria de comunicação informa que o SBT irá suspender as gravações do programa Casos de Família a partir desta semana. A emissora informa que o programa poderá voltar em 2023, com nova temporada e novas histórias. Vale lembrar que a apresentadora Christina Rocha permanecerá contratada do SBT. No horário da atração serão exibidas novelas. Casos de Família ficará no ar até 7 de setembro", afirmou a emissora.

"Casos de Família" estreou em 2004 no SBT, focando em histórias polêmicas e absurdas de famílias e colegas de trabalho. Inicialmente, a atração era comandada pela jornalista Regina Volpato, que foi substituída por Christina Rocha em 2009.