Como a 'paulada' em 2018 fez PSDB virar 'engraçadinho' nas redes

Nova estratégia de comunicação dos tucanos conta com o apoio de FHC. (Foto: Reuters/Nacho Doce/ 4 de Maio de 2017)

Tweets “engraçadinhos”, memes com FHC, piadas com tios do “Zap” e até vídeos no TikTok. O PSDB passou a adotar um tom millennial nas mídias sociais com o propósito de ressuscitar o partido nas redes.

A derrota acachapante sofrida por Geraldo Alckmin nas eleições de 2018, quando recebeu só 4,76% dos votos para presidente, foi classificada como “paulada” nos bastidores do partido e escancarou a necessidade de mudar sua estratégia de comunicação, que viveu um luto de 6 meses sem postagem nenhuma nas redes.

Leia também

O novo método ficou evidente após um tweet criticando a indicação ao Oscar do documentário “Democracia Em Vertigem”, da diretora Petra Costa. No entanto, a linguagem mais solta e direta já estava em prática desde a posse do novo presidente da legenda, ex-deputado Bruno Araújo (PE), há cerca de 7 meses.

O Yahoo Notícias apurou nos bastidores do partido que a equipe responsável pela nova linha é formada por apenas 6 pessoas, com idades entre 23 e 47 anos. Nenhum deles é filiado ao partido e muito menos frequentadores de longa data de Brasília.

A recusa por tucanos de carreira é justamente para evitar uma contaminação com as antigas formas e cacoetes na comunicação institucional que era feita antes. Apesar da roupagem ter mudado, o conteúdo e ideias do PSDB ainda são os mesmos, asseguram os peessedebistas.

“As pessoas estão acostumadas com posicionamentos do PSDB em textões, cercados de um mega-estudo, com notas oficiais e termos mais rebuscados. O que tem sido feito é comunicar as mesmas ideias, só que de forma mais leve, mais descontraída. Foi o que foi feito naquele tweet da Petra. Ao invés de citar a história inteira de defesa do impeachment pelo PSDB em uma nota oficial, resolveram em duas linhas”, narra uma fonte - que preferiu o anonimato - ao Yahoo Notícias.

A cutucada funcionou. O tweet foi, até agora, o que apresentou o maior número de interações, com mais 9 mil likes, 1,1 mil retuítes e 10 mil comentários. A repercussão fez o nome do partido aparecer no trending topics (assuntos mais comentados) do Twitter por dois dias seguidos, além de ser capa do “For You”, que indica ao usuário do Twiitter os assuntos que estão “quentes” na rede.

A estratégia não fica restrita ao Twitter. O partido foi o primeiro no País a criar uma conta oficial no TikTok, aplicativo chinês de compartilhamento de vídeos curtos e atualmente o segundo app mais baixado no mundo. A pegada millennial também está presente nas contas de WhatsApp, na newsletter por e-mail, além de Facebook, Instagram e no canal do YouTube.

Uma avaliação interna indicou que o público havia se acostumado uma postura de “cordeirinho” do PSDB, e que esse comportamento precisava ser abandonado.

Para pôr isso em prática, no entanto, a nova comunicação não conta com planos mirabolantes de O Pink e o Cérebro. É na fórmula da tentativa e erro. A regra é comentar e postar tudo, de entretenimento a agrotóxicos; de fotos de operações policiais a montagens de WhatsApp, e não mais apenas a política partidária.

A coluna de Reflexão do Estagiário, que vai ao ar toda quinta-feira, é a sessão mais agressiva e que, segundo os bastidores, costuma “chamar as coisas pelo nome que são”.

Já a Tia Tucana, emulando uma “tia do Zap”, surgiu após brincadeiras dos seguidores diante da nova proposta jovem, comparando o partido a um tiozão querendo se enturmar.

SUPERTRUNFO FHC

Quando algo parece não surtir o efeito esperado nas redes, apela-se à carta “SuperTrunfo” de Fernando Henrique Cardoso. O ex-presidente já apareceu em vários memes e até aprova.

Em um feedback passado pelo próprio FHC, no fim de outubro de 2019, o tucano disse que a “comunicação hoje em dia é um deus nos acuda e que é preciso testar e não ficar dentro da caixa”.

As brincadeiras têm seu preço. Caso o documentário de Petra Costa ganhe de fato o Oscar, a resposta já está pronta: será o emoji ¯\_(ツ)_/¯

Confira alguns tweets: