Protagonistas de 'Romeu e Julieta' de 1968 processam Paramount por cena de nudez

Os atores que interpretaram dois amantes proibidos em "Romeu e Julieta", filme de 1968 dirigido por Franco Zeffirelli, abriram um processo contra a Paramount Pictures por abuso infantil relacionado a uma cena de nudez, informaram seus advogados nesta terça-feira.

Olivia Hussey, então com 15 anos, e Leonard Whiting, com 16, estrelaram a versão ganhadora do Oscar da tragédia escrita por William Shakespeare.

Atualmente na casa dos 70 anos, os atores alegam em ação movida na semana passada na cidade americana de Santa Mônica, Califórnia, que a cena de cama que exibe nádegas e seios constitui exploração sexual por parte do estúdio, que eles acusam de distribuir nudez de adolescentes.

Segundo o processo, Zeffirelli, que morreu em 2019, insistiu em que os atores fizessem a cena - usando o argumento de que, sem a mesma, "o filme iria fracassar" -, quando, originalmente, ela deveria ter sido filmada com roupas íntimas cor de pele.

A ação acusa os responsáveis pelo filme de terem sido "desonestos" e de terem "filmado secretamente menores nus ou parcialmente nus sem o seu consentimento, violando as leis federais e do estado da Califórnia".

O documento, no qual se exige uma indenização de centenas de milhões de dólares, argumenta que os dois artistas sofrem de problemas emocionais desde que o filme foi lançado, há cinco décadas e meia.

Solomon Gresen, que representa os atores, disse à AFP que o passar dos anos não atenua o dano causado, principalmente porque o filme foi relançado desde então. O estúdio Paramount não respondeu ao contato feito pela AFP.

hg/jh/ag/atm/lb