Pronunciamento de Jair Bolsonaro ainda gera protestos em São Paulo

Jair Bolsonaro gera protestos em São Paulo. Foto: Associated Press

Os protestos e “panelaços” contra Jair Bolsonaro ainda são evento enquanto o presidente faz pronunciamentos com atualizações sobre a pandemia do novo coronavírus. O discurso desta quarta-feira (08), não foi diferente.

Este foi o quinto pronunciamento sobre o coronavírus realizado em um período de menos de um mês. No primeiro pronunciamento sobre o tema, realizado no dia 6 de março, Bolsonaro afirmou que não havia motivo para "pânico" e que o momento era de união.

Leia também

Contudo, no último pronunciamento, a resposta da população foi um pouco mais extrema: ps protestos e panelaços contaram até mesmo com alto-falantes e muito heavy-metal, que na composição contava com os gritos de “Fora Bolsonaro” Veja abaixo:

Sobre o vírus, Bolsonaro apostou no médico Roberto Kalil Filho, que segundo o presidente irá ministrar a hidroxicloroquina como “decisão histórica” contra a pandemia.

Bolsonaro citou o caso do diretor-geral do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, que revelou ter usado a hidroxicloroquina em seu tratamento e depois ministrou para outros casos. Kalil Filho apresentou estado grave da doença, mas se recuperou e espera voltar a trabalhar já na próxima segunda.  O presidente também pediu que os ministros estejam mais sintonizados com ele.